A judicialização do acesso aos medicamentos em belo horizonte : uma questão sobre equidade

Kammilla Eric Guerra de Araújo, Carlota Maria Miranda Quintal

Resumo


O presente trabalho objetiva analisar a atuação do Poder Judiciário em relação às políticas de medicamento nas ações judiciais no âmbito do Município de Belo Horizonte, seus impactos financeiros e contribuir brevemente para as discussões que circundam o tema. Para tanto, foram analisados 187 processos judiciais que passaram pela Câmara Técnica de Conciliação da Saúde do Juizado Especial Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais, no período de 01.07.2016 a 03.03.2017, cujo objeto foi o fornecimento de medicamentos pelo Município. Sob o argumento constitucional de que a “saúde é direito de todos e dever Estado”, o Estado brasileiro tem enfrentado a denominada Judicialização da Saúde e, por meio do Poder Judiciário, tem sido obrigado a fornecer medicamentos sem a observância dos Protocolos Clínicos e Diretrizes Terapêuticas. Observou-se que 93,6% da amostra possuía pedido de tutela antecipada, sendo 80,7% delas deferidas, mesmo que parcialmente e, apenas 3,7% indeferidas. Sob tal aspecto, discute-se a lesão ao princípio da equidade, uma vez que a interferência do Judiciário tem reafirmado as desigualdades em saúde e garante o acesso indiscriminado de bens e serviços a alguns, em detrimento daqueles que não o acessam. Dessa forma, reforça o conflito entre demanda infinita e oferta limitada de recursos em uma sociedade que fez opção por um sistema de saúde característico de um Estado de bem-estar. Substituiu-se o sistema excludente e desigual, anterior à Constituição da Republica de 1988, pelo Sistema único de Saúde gratuito regido sob os princípios, notadamente, da universalidade, da integralidade, da equidade.

Palavras-chave


SUS - Medicamento - Políticas Públicas - Judicialização – Orçamento

Texto completo:

PDF

Referências


BARROS, Fernando Passos Cupertino de; SOUSA, Maria Fátima de. Equidade: seus conceitos, significações e implicações para o SUS. Saúde & Sociedade, São Paulo, v. 25, n. 1, p. 9-18, Mar, 2016. Disponível em: . Acesso em: 25.09.2018.

BARROSO, Luís Roberto. Judicialização, ativismo judicial e legitimidade democrática. (SYN) In: THESIS, v. 5, n. 1 (2012). Disponível em: http://www.e-publicacoes.uerj.br/index.php/synthesis/article/view/7433. Aceso em: 25.09.2018

BASTOS, Celso Ribeiro, MARTINS, Ives Gandra da Silva. Comentários à constituição do Brasil. São Paulo, Saraiva, 2000

BELO HORIZONTE. Lei nº 10.895/2015 de 30 de dezembro de 2015. Lei Orçamentária Anual. Diário Oficial do Município.

BITTENCOURT, Guaraci Bragança. O “estado da arte” da produção acadêmica sobre o fenômeno da judicialização da saúde no brasil. In: Cadernos IberAmericanos de Direito Sanitário, Brasília, 5(1):102-121, jan./mar, 2016. Disponível em: http://dx.doi.org/10.17566/ciads.v5i1.261. Acessado em: 25.09.2018

BORGES, Danielle da Costa Leite. SCHUMACHER, Mercedes. O equilíbrio entre o individual e o coletivo na busca pela universalidade do sistema único de saúde. In: Cadernos IberAmericanos de Direito Sanitário. Brasília, v.2, n.2, jul./dez, 2013. Disponível em: http://dx.doi.org/10.17566/ciads.v2i2.66. Acesso em: 25.09.2018

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 05 de outubro de 1988. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília, DF. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Constituicao.htm. Acesso em: 25.09.2018

BRASIL. Emenda Constitucional nº 95 de 15 de dezembro de 2016. Altera o Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, para instituir o Novo Regime Fiscal, e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília, DF. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/Emendas/Emc/emc95.htm. Acesso em 25.09.2018

BRASIL. Lei Complementar nº 141 de 13 de janeiro de 2012. Regulamenta o § 3o do art. 198 da Constituição Federal para dispor sobre os valores mínimos a serem aplicados anualmente pela União, Estados, Distrito Federal e Municípios em ações e serviços públicos de saúde; estabelece os critérios de rateio dos recursos de transferências para a saúde e as normas de fiscalização, avaliação e controle das despesas com saúde nas 3 (três) esferas de governo; revoga dispositivos das Leis nos 8.080, de 19 de setembro de 1990, e 8.689, de 27 de julho de 1993; e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília, DF. Disponível: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/LCP/Lcp141.htm Acesso em 25.09.2018

BRASIL. Lei nº 10.520 de 17 de julho de 2002. Institui, no âmbito da União, Estados, Distrito Federal e Municípios, nos termos do art. 37, inciso XXI, da Constituição Federal, modalidade de licitação denominada pregão, para aquisição de bens e serviços comuns, e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília, DF. Disponível: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/2002/L10520.htm. Acesso em 25.09.2018

BRASIL. Lei nº 8.080 de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília, DF. Disponível: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Leis/L8080.htm. Acesso em 25.09.2018

BRASIL. Lei nº 8.666/90 de 21 de junho de 1993. Regulamenta o art. 37, inciso XXI, da Constituição Federal, institui normas para licitações e contratos da Administração Pública e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília, DF. Disponível: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L8666cons.htm. Acesso em 25.09.2018

BRASIL. Lei nº 9.099/1995 de 26 de setembro de 1995. Dispõe sobre os Juizados Especiais Cíveis e Criminais e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil. Brasília, DF. Disponível: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/LEIS/L9099.htm. Acesso em 25.09.2018

BULOS, Uadi L. Constituição federal anotada. São Paulo: Saraiva, 2015.

CANOTILHO, Joaquim J. G. Moreira, Vital. Constituição da República Portuguesa Anotada. Coimbra: Coimbra Editora, 2014.

CANOTILHO, Joqauim. J. G. Direito Constitucional e Teoria da Constituição. Coimbra: Almedina, 2007.

DUARTE, Cristina Maria Rabelais. Equidade na legislação: um princípio do sistema de saúde brasileiro?. Ciênc. saúde coletiva, Rio de Janeiro, v. 5, n. 2, p. 443-463, 2000. Disponível em: . Acesso em: 10.06.2017

FERNANDES, Bernardo G. Curso de direito constitucional. Rio de Janeiro: Lumen, 2011.

GERHARDT, Tatiana. E.; Silveira, Denise. T. Métodos de pesquisa. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009

International Society for Equity in Health. Working definitions, 2001

IPEA. Programas de assistência farmacêutica do governo federal: evolução recente das compras diretas de medicamentos e primeiras evidências de sua eficiência 2005 a 2008. Nota técnica, Nº 74, 2010. Disponível em: http://www.ipea.gov.br/agencia/images/stories/PDFs/comunicado/101216_comunicadoipea74.pdf . Acesso em :10.06.2017

LENZA, Pedro. Direito Constitucional esquematizado. São Paulo: Saraiva, 2015.

LUCCHESE, Patrícia T. R. Políticas públicas em Saúde Pública / Patrícia T. R. Lucchese, coord, Dayse Santos Aguiar, Tatiana Wargas, Luciana Dias de Lima, Rosana Magalhães, Giselle Lavinas Monerat. São Paulo: BIREME/OPAS/OMS, 2004.

MACEDO, Eloisa Israel de; LOPES, Luciane Cruz; BARBERATO-FILHO, Silvio. Análise técnica para a tomada de decisão do fornecimento de medicamentos pela via judicial. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v. 45, n. 4, p. 706-713, Aug. 2011. Disponível em: . Acesso em 10.06.2017

MACIEL-LIMA, Sandra; KFOURI Neto; Miguel. O direito à saúde: equidade versus alta complexidade. In: Direitos Sociais e Politicas Públicas II. FUNJAB. Florianópolis: FUNJAB, 2013. Disponivel em: http://www.publicadireito.com.br/publicacao/unicuritiba/livro.php?gt=113. Acesso em: 25.09.2018

MARQUES, Silvia B. A garantia do direito social à assistência farmacêutica: o papel do sistema jurídico e do sistema político. In: Revista de Direito Sanitário, (1/2/3)7, 195-217 (2006). Disponivel em: http://dx.doi.org/10.11606/issn.2316-9044.v7i1-3p195-217. Acesso em: 25.09.2018

MARQUES, Silvia Badim. Dallari, Sueli Gandolfi. Garantia do direito social à assistência farmacêutica no Estado de São Paulo. In: Revista de Saúde Pública, (1):41, 101-7 (2007).

MEDEIROS, Marcelo. Texto para discussão: princípios de justiça na alocação de recursos em saúde. IPEA, 1998

MEDINA, José M. G. Constituição federal comentada. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2014.

MINAS GERAIS Secretaria. Estadual de saúde de Minas Gerais. Manual para o gestor municipal de saúde. Belo Horizonte: SES-MG, 2013.

MOREIRA, Luiz. Judicialização da política no Brasil. In Le Monde Diplomatique Brasil. Edição 67, fev. 2013. Disponível em: https://diplomatique.org.br/judicializacao-da-politica-no-brasil/. Acesso em: 25.09.2018

Nery Junior, Nelson. Constituição Federal comentada e legislação constitucional. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2013.

PADILHA, Rodrigo.Direito Constitucional Esquematizado. Imprenta: São Paulo, 2014.

RAWLS, John. Justiça como equidade: uma concepção política, não metafísica. Lua Nova: Revista de Cultura e Política, (25), 25-59 (1992) Disponível em: https://dx.doi.org/10.1590/S0102-64451992000100003. Acesso em 10.06.2017.

ROMERO, Luiz C. P. O Sistema único de saúde – um capítulo à parte. Disponível em: http://www12.senado.leg.br/publicacoes/estudos-legislativos/tipos-de-estudos/outras-publicacoes/volume-v-constituicao-de-1988-o-brasil-20-anos-depois.-os-cidadaos-na-carta-cidada/seguridade-social-o-sistema-unico-de-saude-um-capitulo-a-parte/view. Acesso em 10.06.2017.

SANT'ANA, João Mauricio Brambati et al. Racionalidade terapêutica: elementos médico-sanitários nas demandas judiciais de medicamentos. Rev. Saúde Pública, São Paulo, v. 45, n. 4, p. 714-721, ago. 2011. Disponível em . Acesso em 25.09.2018.

SAVI, Luciane Anita. SANTOS, Elisa Silva dos. O papel do administrador público nas demandas judiciais no serviço de assistência farmacêutica. In: Cadernos IberAmericanos de Direito Sanitário, Brasília, v. 2, n. 2 (2013). Dsiponivel em http://dx.doi.org/10.17566/ciads.v2i2.93 . Acesso em 10.06.2017

SCHWARTZ, Germano. Direito à saúde: efetivação em uma perspectiva sistêmica. Porto Alegre: Livraria do Advogado, 2001.

SOUSA, Boaventura Santos. Para uma revolução democrática da justiça. Coimbra: Almeidina, 2004.

TEIXEIRA, Carmen. Os princípios do sistema único de saúde. Texto de apoio elaborado para subsidiar o debate nas Conferências Municipal e Estadual de Saúde. Salvador, 2011. Disponível em: https://www.almg.gov.br/export/sites/default/acompanhe/eventos/hotsites/2016/encontro_internacional_saude/documentos/textos_referencia/07_principios_sistema_unico_saude.pdf. Acesso em 10.06.2017.

UNAIDS. How AIDS Changed Everything. Geneva: Unaids, 2015. Disponível em: http://www.unaids.org/sites/default/files/media_asset/MDG6Report_en.pdf. Acesso em 25.09.2018

VALE, L A M M. Racionamento e racionalização no acesso à saúde: contributo para uma perspectiva jurídico-constitucional. Coimbra, 2007.

VENTURA, Miriam et al . Judicialização da saúde, acesso à justiça e a efetividade do direito à saúde. Physis, Rio de Janeiro, v. 20, n. 1, p. 77-100, 2010. Disponível em: . Acesso em 25.09.2018

VIANA, Ana Luiza d’A.; FAUSTO, Márcia C. R.; Lima, Luciana D. Política de saúde e equidade. In: São Paulo em Perspectiva, 17(1) 58-68 (2003)

WHITEHEAD, Margareth. The concepts and principles of equity and health. In: International Journal of Health Services. 1992, 22 (3): 429-45.

WHITEHEAD, Margareth. The concepts and principles of equity and health. Copenhagen: WHO Regional Office for Europe, 1990.




DOI: http://dx.doi.org/10.5102/rbpp.v8i3.5689

ISSN 2179-8338 (impresso) - ISSN 2236-1677 (on-line)

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia