Dignidade humana na webesfera governamental brasileira

Luciana Cristina Souza

Resumo


A pesquisa descrita nesse artigo avaliou nos últimos três anos a qualidade da participação democrática brasileira a partir de dois conceitos centrais, a cidadania digital e o reconhecimento de direitos emancipatórios aos cidadãos. Seu objetivo geral foi analisar e redimensionar o papel do Estado enquanto autoridade pública a partir do princípio da resiliência estatal, que determina o estabelecimento de novos parâmetros de legitimidade das normas jurídicas, os quais estão vinculados à participação cidadã. Para tanto se empregou a metodologia estudo de casos concretos nos quais o Poder Público interagiu com a sociedade civil por meio de instrumentos supostamente colaborativos de tomada de decisão a respeito de políticas públicas. Também foram analisados dados do IPEA relativamente aos requisitos essenciais para a qualidade da cidadania, como o acesso a direitos fundamentais, de modo a observar o nível de distanciamento entre a proposta constitucional e a realidade social brasileira. Como resultado observou-se que a maior dificuldade para a implementação de um regime democrático efetivamente emancipatório no Brasil atual é o reconhecimento dos novos sujeitos políticos na esfera pública institucional, pois ainda se preserva no Estado um modo de gestão monopolista e, ainda, insuficientemente deliberativo, apesar das novas tecnologias digitais.

Palavras-chave


Cidadania; Democracia; Dignidade Humana; Estado de Direito; Resiliência

Texto completo:

Pdf

Referências


ARROYO, César Landa. Dignidad de la persona humana. Ius et Veritas, PUCP, n. 21, p. 10-25, 2000.

COSTA, Pietro; ZOLO, Danilo (Orgs.). O Estado de Direito – História, teoria, crítica. São Paulo: Martins Fontes, 2006.

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS. Projeto Democracia Digital - Experiências governamentais brasileiras de eParticipação. v.2. Escola de Administração de Empresas de São Paulo; Centro de Estudos em Administração Pública e Governo; Escola de Direito; Grupo de Ensino e Pesquisa em Inovação: São Paulo, 2015.

FUNDO BRASIL EM DIREITOS HUMANOS. Litigância estratégica em Direitos Humanos: experiências e reflexões. São Paulo: Escola de Direito da FGV, 2016. Disponível em: . Acesso em 28 de setembro de 2017

HABERMAS, Jürgen. Consciência moral e agir comunicativo. Tradução de Guido Antônio de Almeida. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 2013. Biblioteca Tempo Universitário, n. 84.

HABERMAS, Jürgen. Espaço Público – Verbete. Tradução de Edmilson Alves de Azevêdo. Revista Internacional de Filosofia, v. 3, n. 2, p. 218-227, 2012.

HABERMAS, Jürgen. El concepto de dignidad humana y la utopia realista de los derechos humanos. Diánoia, v. LV, n. 64, p. 3–25, maio de 2010.

HABERMAS, Jürgen. A ética da discussão e a questão da verdade. 2ed. Tradução de Marcelo Brandão Cipolla. São Paulo: Martins Fontes, 2007. Coleção Tópicos.

HONNETH, Axel. La educación y el espacio público democrático: Un capítulo descuidado en la Filosofía política. Isegoría - Revista de Filosofía Moral y Política, n. 49, p. 377-395, julho-dezembro de 2013.

HONNETH, Axel. Recognition and Justice: Outline of a Plural Theory of Justice. Acta Sociologica, v. 47, n. 4, p. 351-364, Dezembro de 2004.

HONNETH, Axel. Luta por reconhecimento: a gramática moral dos conflitos sociais. Tradução de Luiz Repa. São Paulo: Editora 34, 2003.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. Índice de Vulnerabilidade Social. Disponível em: . Acesso em 20 de agosto de 2017.

INSTITUTO DE PESQUISA ECONÔMICA APLICADA. Atlas de Desenvolvimento Humano, Radar 2011-2015. Disponível em: . Acesso em 20 de agosto de 2017.

LIJPHART, Arend. Modelos de democracia. Tradução de Roberto Franco. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2003.

MIRANDA, Jorge. A dignidade da pessoa humana e a unidade valorativa do sistema de direitos fundamentais. Justitia, São Paulo, v. 67, n. 201, p. 359-385, jan/dez 2010.

MONREAL, Eduardo Novoa. El derecho como obstáculo al cambio social. 13ed. Madrid: Siglo Veintiuno, 1999.

OLIVA, Alberto. A solidão da cidadania. São Paulo: Editora SENAC São Paulo, 2000. Coleção Livre Pensar.

SOUZA, Luciana Cristina de. Aplicação do princípio da resiliência às relações entre Estado, Direito e Sociedade Civil. Tese. Pontifícia Universidade Católica, Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil, Programa de Pós-graduação em Direito, 2012.

SOUZA NETO, Cláudio Pereira de. Teoria constitucional e democracia deliberativa: um estudo sobre o papel do direito na garantia das condições para a cooperação na deliberação democrática. Rio de Janeiro: Renovar, 2006.

VAZ, Alexander Cambraia N. Modelando a participação social: uma análise da propensão à inserção em Instituições Participativas, a partir de características socioeconômicas e políticas. Revista Brasileira de Ciência Política, n.10, Brasília, p. 63-106, jan/abr 2013.

VAZ, Henrique Cláudio de Lima. Ética e direito. São Paulo: Landy; Loyola, 2002.




DOI: http://dx.doi.org/10.5102/rbpp.v7i3.4875

ISSN 2179-8338 (impresso) - ISSN 2236-1677 (on-line)

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia