Democratização na era digital: desafios para um diálogo consciente e igualitário

Raquel Cavalcanti Ramos Machado, Laura Nathalie Hernandez Rivera

Resumo


A democracia ganha novos contornos no espaço disponibilizado pela internet. Nesse palco, no qual muitas relações são travadas, e em que a voz do cidadão ganha realce, o poder é semeado. O presente trabalho objetiva avaliar alguns dos aspectos trazidos pelo cenário digital ao exercício do poder, como a inclusão e a educação do cidadão, assim como a ampliação dos ambientes de debate e do controle do Estado. Utilizou-se o método falibilista hipotético-dedutivo, em que se formularam hipóteses, que foram testadas por meio de verificação da realidade, de pesquisa bibliográfica e jurisprudencial. Como resultado, percebeu-se que, para assegurar a igualdade, importa não apenas garantir a inclusão digital, mas também a educação, a fim de que os debates sejam travados com consciência política, transparência e honestidade, devendo-se observar normas quanto ao diálogo, como as que exigem deliberação e discussão de assuntos postos em pauta para manifestação social. Além disso, por ser um espaço que viabiliza a manifestação cidadã, o Estado deve criar canais que possibilitem sua participação mais ativa. Participação essa que não necessariamente implicará a diminuição do caráter representativo da democracia, mas possibilitará o aumento de sua legitimidade. Outro aspecto da questão relaciona-se à realização de campanhas eleitorais em que a imposição de regras, como as previstas na legislação eleitoral, mostra-se crucial para impedir que o abuso do poder econômico e político estruture a disputa. Concluiu-se, portanto, necessidade de um aumento de consciência política digital, em vários de seus aspectos, para que se possa desenvolver a democracia no ambiente digital.

Palavras-chave


Democracia; inclusão digital; educação digital; deliberação; eleição

Texto completo:

Pdf

Referências


ARENDT, Hannah. Origens do totalitarismo:antissemitismo, imperialismo, totalitarismo. Tradução de Roberto Raposo. São Paulo: Companhia das Letras, 1989.

BERLOW, John Perry. A Declaration of the Independence of Cyberspace. Disponível em: . Acessado em: 9 jun. 2017.

BONILLA, Maria Helena Silveira; PRETTO, Nelson De Luca (Org.).Inclusão digital: polêmica contemporânea Salvador: EDUFBA, 2011.v.2.

CONSTANT, Benjamin, «De la liberté des anciens comparée à celle des modernes» (1819), Écrits politiques, Paris: Gallimard, coll. Folio, 1997.

DA SILVEIRA, Sergio Amadeu (Org.). Cidadania e redes digitais.1.ed.São Paulo: Comitê Gestor da Internet no Brasil: Maracá – Educação e Tecnologias, 2010.

DAHL, Robert. Sobre a democracia. Tradução de Beatriz Sidou. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2001.

HABERMAS, Jürgen. Direito e democracia.Entre facticidade e validade. Tradução de Flávio BenoSiebeneichler. Rio de Janeiro: Tempo Brasileiro, 1997. v. 1.

ROUSSEAU, Jean-Jacques. Du Contrat social.coll. Folio. Paris: Gallimard, 1993.

SORJ, Bernardo; GUEDES, Luis Eduardo.Internet na Favela: quantos, quem onde, para que. Rio de Janeiro: Centro Edelstein de Pesquisas Sociais, 2008.

SUNSTEIN, Cass. Simpler: The Future of Government.New York. Simon&Schuster.

WARSCHAUER, Mark; NIIYA, Melissa. Medios digitales e Inclusión Social. 2014. Disponível em: . Acesso em: 7 jun. 2017.




DOI: http://dx.doi.org/10.5102/rbpp.v7i3.4801

ISSN 2179-8338 (impresso) - ISSN 2236-1677 (on-line)

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia