Agricultura orgânica: solução para o século XXI?

Eloir Trindade Vasques Vieira, Denilson de Oliveira Guilherme, Luis Carlos Vinhas Itavo, Lucelia Da Costa Tashima

Resumo


Segundo dados da Organização das Nações Unidas, a previsão futura é de que ocorra um crescimento populacional considerável, sendo cerca de 9 bilhões em 2050 e acima de 10 bilhões em 2100 (UNFPA, 2011). Desta forma são muitas as preocupações ao longo do tempo com a produção agrícola, e se haverá alimentos no mundo que atendam a esta crescente demanda. Preocupação também há com os alimentos a serem colocados na mesa da população, se estes atendem aos requisitos de saúde alimentar. O trabalho teve por objetivo apresentar a agricultura orgânica, seus conceitos e projeções futuras. Desta forma tratou-se de uma pesquisa bibliográfica. Verificou-se que a agricultura orgânica atende a um publico diferenciado, que quer agregar alimentação saudável com qualidade de vida. O desenvolvimento sustentável também entra neste rol de solicitações, visto que há a cada dia mais há exigência quanto a construção de práticas sustentáveis que promovam a preservação dos ecossistemas e a biodiversidade, mas que também melhore as condições socioeconômicas das comunidades. Em estudo realizado por FIBL-AMI, 2014 são retratados 10 países maiores produtores de orgânicos no mundo. Pesquisas também demonstraram que em a taxa de alimentos orgânicos tem crescido a taxa de 25% ao ano em alguns países. Evidenciou-se que o consumidor deste produto orgânico, não está especificamente preocupado com preço, mas com fatores que estão agregados ao produto, tais como, qualidade no cultivo diferenciado em relação ao produto convencional, sendo esse tipo de manejo a exigência final no processo de produção. A procura por alimentos saudáveis vem sendo orientada por conhecimento cientifico relacionados à saúde do homem e a preocupação com o meio ambiente em que foi produzido. Desta forma verificou-se que consumidor de produto orgânico tem preocupações além do custo, tais como saúde e questões ambientais que permeiam o processo de produção, e que a o investimento neste tipo de produto pode ser um diferencial a futuros produtores.

Palavras-chave


Agricultura Convencional. Produtividade Agrícola. Produtos Orgânicos.

Texto completo:

PDF

Referências


ALBERTO JUNIOR. Agricultura e sustentabilidade, 10 out. 2005. Disponível em: http://www.administradores.com.br/artigos/carreira/agricultura-e-sustentabilidade/11413 . Acesso em: 19 set. 2016.

ALTIERI, M. Agroecologia: as bases científicas da agricultura alternativa. Rio de Janeiro: PTA-FASE, 1989.

ANDRADE, L. M. S, BERTOLDI, M. C. Atitudes e motivações em relação ao consumo de alimentos

orgânicos em Belo Horizonte – MG. Brazilian Journal of Food Technology, v. 15, n. special, May 2012. Available

at: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1981-67232012000500006&script=sci_arttext . Accessed on:

Sept. 2016.

BRASIL. Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária. Evolução e cadeia produtiva da agricultura orgânica.

Brasília, 2006. Disponível em: https://www.embrapa.br/busca-de-publicacoes/-/publicacao/779849/

evolucao-e-cadeia-produtiva-da-agricultura-organica . Acesso em: 16 set. 2016.

BRASIL. Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor. Rota dos orgânicos. Revista do Idec, n. 162, fev. 2012.

Disponível em: http://www.idec.org.br/em-acao/revista/diferenca-que-incomoda/materia/na-rota-dosorganicos . Acesso em: 15 set. 2016.

BRASIL. Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia. [Homepage]. Rio de Janeiro, 2012. Disponível em: http://www.inmetro.gov.br/ . Acesso em: 19 set. 2016.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Mato Grosso e Pará têm as maiores áreas de orgânicos do país, 30 maio 2012. Disponível em: http://www.agricultura.gov.br/comunicacao/noticias/2012/05/

mato-grosso-e-para-tem-as-maiores-areas-de-organicos-do-pais . Acesso em: 19 set. 2016.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. Secretaria de Comércio Exterior.

Exportações brasileiras de produtos orgânicos: agosto de 2006 a janeiro de 2010. Disponível em: http://www.mdic.gov.br . Acesso em: 19 set. 2016.

CAMPANHOLA, Clayton; VALARINI, Pedro José. A Agricultura orgânica e seu potencial para o pequeno

agricultor. Cadernos de Ciência & Tecnologia, Brasília, v. 18, n. 3, p. 69-101, set./dez. 2001.

CAMPOS, Christiane Senhorinha Soares. A face feminina da pobreza em meio à riqueza do agronegócio: o caso de

Cruz Alta/RS. Bueno Aires: CLACSO, 2011.

CAN ORGANIC food feed the world? New study sheds light on debate over organic vs. conventional agriculture. ScienceDaily, 25 Apr. 2012. Available at: www.sciencedaily.com/releases/2012/04/120425140114.htm .

Accessed on: 19 Sept. 2016.

CANUTO, João Carlos. Agricultura ecológica en Brasil: perspectivas socioecológicas. 1998. 256 f. Tese (Doutorado) – Instituto de Sociología y Estudios Campesinos (ISEC), Escuela Superior de Ingenieros Agrónomos

y Montes (ETSIAM), Universidad de Córdoba, Córdoba, 1998.

CAPORAL, Francisco Roberto. Em defesa de um plano nacional de transição ecológica: compromisso com

as atuais e nosso legado para as futuras gerações. In: SAUER, S.; BALESTRO, M. V. (Org.) Agroecologia e os

desafios da transição agroecológica. São Paulo: Expressão Popular, 2009.

DAROLT, Moacir Roberto. Alimentos orgânicos: um guia para o consumidor consciente. 2. ed. rev. e ampl.

Londrina: IAPAR, 2007. Disponível em: http://www.iapar.br/arquivos/File/zip_pdf/publi_alimentos.

pdf . Acesso em: 19 set. 2016.

DENARDI, R. A. Agricultura familiar e políticas públicas: alguns dilemas e desafios para o desenvolvimento

rural sustentável. Agroecologia e desenvolvimento rural sustentável, Porto Alegre, v. 2, n. 3, p. 56-62, jul./set. 2001.

FAIRTRADE BRASIL. Home. Disponível em: http://www.fairtradebrasil.com.br/home . Acesso em: 10

set. 2016.

FONSECA, M. F. de A C.; CAMPOS, F. F. O cenário da comercialização dos orgânicos no Estado do Rio de

Janeiro: I - perspectivas na visão do agricultor, II – feiras, III – processadoras/distribuidoras, IV – grandes

varejistas, V – pequenos varejistas. In: AMBROSANO, E. (Coord.). Agricultura ecológica. São Paulo: Livraria

Editora Agropecuária, IAC, AAO, 1999.

GAZZONI, Décio Luiz. As razões da escalada de preços das commodities agrícolas. In: SIMPÓSIO INTERNACIONAL DE BIOCOMBUSTÍVEIS E SEGURANÇA ALIMENTAR, 2008, Salvador. Anais...

Salvador: Goethe-Institut, 2008.

GONÇALVES, Carlos Walter Porto. Geografia da riqueza, fome e meio ambiente: pequena contribuição

crítica ao atual modelo agrário/agrícola de uso dos recursos naturais. Interthesis, Florianópolis, v. 1, n. 1, p.

-55, 2004.

HECHT, S. B. A evolução do pensamento agroecológico. In: ALTIERI, M. A. (Ed.). Agroecologia: as bases

científicas da agricultura alternativa. Rio de Janeiro: PTA/FASE, 1989. p. 25-41.

IBD CERTIFICAÇÕES. Certificações: orgânico: IBD orgânico e orgânico Brasil, 2014. Disponível em:

http://ibd.com.br/pt/IbdOrganico.aspx . Acesso em: 19 set. 2016.

KLUTH, B.; BOCCHI JUNIOR, U.; CENSKOWSKY, U. Pesquisa sobre o comportamento e a percepção do consumidor de alimentos orgânicos no Brasil. Munchen: Organic Services; Jundaiai: Vitalfood, 2010.

LERNOUD, Julia; WILLER, Helga. Organic agriculture worldwide: key results from the FiBL-IFOAM

surveyon organic agriculture worldwide 2014: part 3: organic agriculture in the regions 2012. Frick, Switzerland, Apr. 2014. Available at: http://www.organic-world.net/fileadmin/documents/yearbook/2014/fiblifoam-2014-regions-2012.pdf . Accessed on: 19 Sept. 2016.

LEVI, M.; LINTON, A. Fair trade: a cup at a time? Politics & Society, v. 31, n. 3, Sept. 2003.

LOMBARDI, M. S.; MOORI, R. G.; SATO, G. S. Um estudo exploratório dos fatores relevantes na decisão

de compra de produtos orgânicos. Revista de Administração Mackenzie, v. 5, n. 1, p. 13-34, 2004.

MALTHUS, T. An essay on the principle of population: or a view of its past and present effects on human happiness: with an inquiry into our prospects respecting the future removal or mitigation of the evils which it

occasions. 6. ed. Londres: John Murray, 1826.

MARCUSE, H. de. Tecnologia, guerra e fascismo: coletânea de artigos. São Paulo: Unesp, 1999.

MATIAS, Adalberto Borges; FREITAS, Zípora de Campos. Commodities ambientais: uma análise acerca da

comercialização em bolsa de valores no mercado financeiro brasileiro, 2003. Disponível em:

cepefin.org.br/mapa.htm>. Acesso em: 18 set. 2016.

MAZZOLENI, Eduardo Mello; NOGUEIRA, Jorge Madeira. Agricultura orgânica: características básicas

do seu produtor. Revista de Economia e Sociologia Rural, Rio de Janeiro, v. 44, n. 2, p. 263-293, abr./jun. 2006.

MOMESSO, Cristiane Maria Vendramini; ROEL, Antonia Railda; FAVARO, Simone Palma. Levantamento

do potencial de comercialização de produtos orgânicos para o estado de Mato Grosso do Sul. Interações,

Campo Grande, v. 10, n. 1, p. 55-62, jan./jun. 2009.

ORMOND, José Geraldo Pacheco et al. Agricultura orgânica: quando o passado é futuro. BNDES Setorial,

Rio de Janeiro, n. 15, p. 3-34, mar. 2002. Disponível em: https://web.bndes.gov.br/bib/jspui/bitstream/1408/2479/1/BS%2015%20Agricultura%20org%C3%A2ncia_P.pdf . Acesso em: 18 set. 2016.

PASCHOAL, A. D. Produção orgânica de alimentos: agricultura sustentável para os séculos XX e XXI; guia técnico e normativo para o produtor, o comerciante e o industrial de alimentos orgânicos e insumos naturais.

Piracicaba: ESALQ, 1994.

PEREIRA, Severino Joaquim Nunes. O impacto do argumento ecológico nas atitudes dos consumidores: um estudo experimental. 2003. 91 f. Dissertação (Mestrado) - Escola Brasileira de Administração Pública e de Empresas,

Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, 2003.

POLITO, Wagner L. The Trofobiose Theory and organic agriculture: the active mobilization of nutrients

and the use of rock powder as a tool for sustainability. Anais da Academia Brasileira de Ciências, Rio de Janeiro,

v. 78, n. 4, p. 765-779, dez. 2006.

PRATES, Daniela Magalhães. A alta recente dos preços das commodities. Revista de Economia Política, v. 27,

n. 3, p. 323-344, jul./set. 2007.

SANTA CATARINA. Secretaria de Estado da Agricultura e Política Rural. Instituto de Planejamento e Economia Agrícola de Santa Catarina. Agricultura orgânica em Santa Catarina, maio 2003. Disponível em: http://

docweb.epagri.sc.gov.br/website_cepa/publicacoes/organicos.pdf. Acesso em: 15 set. 2016.

SAUER, Sérgio Reforma Agrária e geração de emprego e renda no meio rural. São Paulo: ABET, 1998.

SCHNEIDER, Sérgio Teoria social, agricultura familiar e pluriatividade. Revista Brasileira de Ciências Sociais, v.

, n. 51, p. 99-121, fev. 2003.

SEUFERT, Verena; RAMANKUTTY, Navin; FOLEY, Jonathan A. Comparing the yields of organic and

conventional agriculture. Nature, n. 485, p. 229-232, 10 May 2012. Available at: http://www.nature.com/

nature/journal/v485/n7397/full/nature11069.html . Accessed on: 15 Sept. 2016.

SOUZA, Maria Célia Martins de. Algodão orgânico: o papel das organizações na coordenação e diferenciação

do sistema agroindustrial do algodão. 1998. 187 f. Dissertação (Mestrado) – Departamento de Administração,

Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, 1998.

SOUZA, Maria Célia Martins de. Produtos orgânicos. In: ZYLBERSZTAJN, Decio; NEVES, Marcos Fava

(Org.). Economia e gestão dos negócios agroalimentares. São Paulo: Pioneira, 2000. p. 385-401.

TASHIMA, Lucelia da Costa Nogueira. A construção da visibilidade da agricultura familiar: estudo de caso na

comunidade negra quilombola de São Miguel - MS. 2016. 118 f. Dissertação (Mestrado) – Programa de

Pós-graduação em Desenvolvimento Local, Universidade Católica Dom Bosco, Campo Grande, 2016.

Disponível em: http://site.ucdb.br/public/md-dissertacoes/18973-dissertacao-lucelia-da-costa-nogueira-tashima.pdf . Acesso em: 15 jun. 2016.

UNFPA. Relatório sobre a situação da população mundial: pessoas e possibilidades em um mundo de 7 bilhões.

Tradução: Eleny Corina Heller. New York, 2011. Disponível em: http://www.un.cv/files/PT-SWOP11-

WEB.pdf . Acesso em: 19 set. 2016.

UNITED STATES. Food and Agriculture Organization. FAO FactFile: majoraty of people live in cities by

, 1998. Available at: http://www.fao.org/NEWS/FACTFILE/ff9811-e.htm . Accessed on: 19 Sept.

WILLER, H.; YUSSEFI, M. Organic agriculture worldwide 2001: statistics and future prospects. Bad Dürkheim:

SÖL, 2001. (SÖL Publication, 74).




DOI: http://dx.doi.org/10.5102/rbpp.v6i2.3973

ISSN 2179-8338 (impresso) - ISSN 2236-1677 (on-line)

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia