Controle Judicial das Políticas Públicas: perspectiva da hermenêutica filosófica e constitucional

Selma Leite do N. Sauerbronn de Souza

Resumo


O presente artigo trata do controle judicial das políticas públicas, sob a ótica da hermenêutica filosófica e constitucional e almeja apresentar alguns instrumentos de hermenêutica que podem contribuir para uma reflexão, no que toca aos limites deste controle. Valendo-se da revisão da literatura, o texto estrutura-se apresentando num primeiro momento alguns conceitos sobre políticas públicas e as objeções sustentadas pela doutrina quanto à possibilidade de controle judicial neste campo e os seus limites. Em seguida são trazidos elementos teóricos da hermenêutica filosófica e constitucional e da indeterminação do direito. No terceiro momento destacam-se algumas tensões entre as opções valorativas, dispondo instrumentos da hermenêutica, para, ao final, concluir que referidos instrumentos são de extrema utilidade como demarcadores do controle judicial das políticas públicas. A pesquisa registra valor acadêmico, ante o desafio que se coloca para o mundo jurídico quanto à efetividade das políticas públicas, notadamente quanto ao controle destas políticas pelo Poder Judiciário.

Palavras-chave


Políticas Públicas. Controle Judicial. Instrumentos da hermenêutica.

Texto completo:

PDF

Referências


ALEXY, Robert. Teoria dos Direitos Fundamentais. Tradução, Virgílio Afonso da Silva, 5.ed. , São Paulo: Malheiros, 2006.

BARROSO, Luís Roberto. Interpretação e Aplicação da Constituição. 7. Ed. São Paulo: Saraiva.

BÖCHENFÖRD, Esnest-Wolfgang. Escritos sobre derechos fundamentales. Baden-Baden:Nomos Verlagsgesechaft, 1993.

BLEICHER, Josef. Hermenêutica Contemporânea. Lisboa: Edições 70, 1992.

BUCCI, Maria Paula Dalallari. Direito Administrativo e Políticas Públicas. São Paulo: Saraiva, 2006.

COELHO, Inocêncio Mártires. Interpretação Constitucional. Porto Alegre, Sérgio Antônio Fabris, 2008.

COELHO, Inocêncio Mártires. Aula da disciplina Hermenêutica Constitucional, em 12/04/2013.

COHEN, E. ; FRANCO, R. Avaliação de Projetos Sociais. 3. ed. Petrópolis, Rio de Janeiro: Vozes, 1999.

ECO, Humberto. Os Limites da Interpretação. São Paulo: Perspectiva, 1995.

EMÍILIO, Betti. Interpretação da Lei e dos Atos jurídicos. São Paulo: Martins Fontes, 2007.

FREITAS FILHO, Roberto;MORAES LIMA, Thalita. Metodologia de Análise de Decisões – MAD. Universitas Jus, Brasília, n. 21, p 1-17, jul./dez.2010.

GADAMER, Hans-Georg. Verdade e Método. Petrópolis-RJ: Vozes, v. 1, 1997.

HART, Herbert. O Conceito de Direito. Lisboa: Calouste Gulbekian, 1994.

CANOTILHO, J.J. Gomes. Direito Constitucional. 7. ed., Lisboa, 2010.

KUHN, Thomas Samuel. A estrutura das revoluções científicas. Tradução de Beatriz Vianna Boeira e Nelson Boeira. 3.ed. São. Paulo: Perspectiva, 1992.

LARENZ, Karl. Metodologia da ciência do Direito. Tradução de José Lamego, 3. ed. , Lisboa: Calouste Gulbenkian, 1997.

ORLANDI, Eni P. Análise de discurso: princípios e procedimentos. 7. ed. Campinas: Pontes, 2003.

PALMER, Richard. Hermenêutica- saber da filosofia. edições 70.

RODRIGUES, Marta M. Assumpção. Políticas Públicas. São Paulo: Publifolha, 2010.

SANTOS, Marília Lourido dos. Interpretação Constitucional no Controle Judicial das Políticas Públicas. Porto Alegre: Sérgio Antônio Fabris, 2006.

SILVA, Maria Luísa Portocarrero Ferreira da. O preconceito em H.G.Gadamer: sentido de uma reabilitação. Lisboa: Calouste Gulbenkian/Junta Nacional de Investigação Científica e Tecnológica, 1995.

SOUZA, Celina . Políticas Públicas: uma revisão da literatura. Porto Alegre: Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Programa de Pós-graduação em Sociologia, V. I, jan/junho de 1999.

VIOLA, Francesco;ZACCARIA, Giuseppe. Derecho e Interpretación. Emenetos de Teoria Hermenêutica Del Derecho. Madrid: Dykinson, 2007.

ZAGREBELSKY, Gustavo. El derecho dúctil: Ley, Derechos, justicia. Madri: Trotta, 2011.




DOI: http://dx.doi.org/10.5102/rbpp.v5i2.3116

ISSN 2179-8338 (impresso) - ISSN 2236-1677 (on-line)

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia