A responsabilidade social e a afirmação da alteridade: o novo humanismo da ética de Emmanuel Lévinas -doi10.5102/unijus.v24i1.2060

Rudhra Gallina

Resumo


Este artigo pretende articular a compreensão do sentido metafísico que Lévinas dá à ética, reconhecendo sua herança de pensamento na ontologia hedeggeriana. Acompanhamos a discussão sobre como a morte do outro é o ponto em que restituímos o caráter ético para o sentido, para além da finitude da “minha” morte como momento ontológico da existencialidade do “dasein”, na noção de infinito no rosto do outro. Ao final da reflexão, chegamos à consideração do nascimento da ética com a chegada do “terceiro”, onde a justiça rompe com a violência do amor de que brota. Nosso objetivo foi o de reconhecer o sentido humano fundado na alteridade como aquilo que possibilita a experiência e a contextualização humanas.

Texto completo:

Texto completo


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/unijus.v24i1.2060

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1519-9045 (impresso) - ISSN 1982-8268 (on-line) - e-mail: carolina.abreu@uniceub.br

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia