Hipnose e psicologia clínica: problemas clínicos, epistemológicos e históricos - doi: 10.5102/ucs.v2i1.522

Maurício Neubern

Resumo


O presente artigo procura esboçar uma releitura da hipnose para a psicologia clínica, resgatando-a em sua pertinência prática, histórica e epistemológica. Por um lado, ele destaca, de modo crítico, alguns acontecimentos
históricos que possuem considerável importância epistemológica e histórica; contudo, foram lançados ao esquecimento. Por outro lado, ele apresenta, por meio
de ilustrações clínicas, algumas aplicações práticas da hipnose que remetem à desconstrução de certos mitos ligados à mesma, como a substituição dos sintomas
e a autoridade direta do terapeuta sobre o paciente. O artigo é concluído considerando algumas questões de fundamental importância trazidas pela hipnose (a influência, a construção e as origens e instituições da psicologia) que poderão levar a uma nova compreensão de sua história e traçar uma nova racionalidade para seu porvir.

Palavras-chave


Hipnose; psicologia clínica; história; epistemologia; psicoterapia

Texto completo:

Texto completo


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/ucs.v2i1.522

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1678-5398 (impresso) - ISSN 1981-9730 (on-line) - e-mail: universitas.saude@uniceub.br

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia