A evolução identitária da Controladoria-Geral da União: polifonia e decisões em políticas de transparência e acesso à informação

Érica Bezerra Queiroz Ribeiro, Bruno Amaral Machado

Resumo


O objetivo deste artigo é analisar, sob a perspectiva organizacional sistêmica, a evolução da identidade da Controladoria-Geral da União (CGU) a partir das decisões adotadas pela organização no que se refere à política de transparência e à garantia do direito de acesso a informações. Adota, como referência, a trajetória organizacional que culminou na centralidade da sua atuação, no âmbito do Poder Executivo federal, relacionada à implementação da Lei de Acesso a Informações. Com fundamento na teoria sistêmica, analisa a CGU no contexto da diferenciação funcional entre o sistema jurídico e o sistema político. A análise situa a diferenciação deste nos subsistemas da política, do público e da administração pública, estrutura na qual a CGU se insere. Em seguida, a partir dos conceitos de premissas decisórias e de identidade organizacional, analisa os processos decisórios da CGU em relação às novas funções assumidas com a LAI. Conclui que a CGU se orienta por premissas decisórias – programas condicionais e finalísticos, regras de recrutamento e seleção de pessoal e de organização interna vinculada à execução dos programas e cultura organizacional – que configuraram a sua identidade organizacional, particularmente, nos últimos anos, quando decide sobre a política de transparência e do direito de acesso a informações.

Palavras-chave


Teoria dos sistemas sociais; Acesso a informações; Controladoria-Geral da União.

Texto completo:

PDF

Referências


ANDERSEN, Niels A. Polyphonic organizations. In BAKKEN, Tore; HERNES, Tor (Eds.), Autopoietic Organization Theory: drawing on Niklas Luhmann´s social systems perspective. Copenhague, Dinamarca: Copenhagen Business School Press, 2003, p. 152-182.

ANDREWS, Christina; BARIANI, Edison (Org.). Administração pública no Brasil. São Paulo: Unifesp, 2010.

BRESSER PEREIRA, Luiz Carlos; SPINK, Peter. Reforma do Estado e Administração Pública Gerencial. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006.

CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO. Relatório de Gestão: Exercício 2004. Brasília, 2005. Disponível em: http://www.cgu.gov.br/sobre/auditorias/arquivos/2004-a-2001/relatorio_gestao_cgu_2004.pdf. Acesso em: 28 jan. 2020.

CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO. Relatório de Gestão: Exercício 2005. Brasília, 2006. Disponível em: http://www.cgu.gov.br/sobre/auditorias/arquivos/2005/relatorio_gestao_cgu_2005.pdf. Acesso em: 28 jan. 2020.

CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO. Relatório de Gestão: Exercício 2011. Brasília, 2012. Disponível em: http://www.cgu.gov.br/sobre/auditorias/arquivos/2011/relatorio_gestao_cgu_2011.pdf. Acesso em: 28 jan. 2020.

CORRÊA, Izabela. Unveiled to Regulate: The Logics and The Trajectories of Regulatory Transparency Policies. Tese - London School of Economics and Political Science, Inglaterra, 2017. Disponível em: http://etheses.lse.ac.uk/3632. Acesso em: 28 jan. 2020.

CORREGEDORIA-GERAL DA UNIÃO. Relatório das Atividades no Ano de 2001. Brasília, 2001. Disponível em: http://www.cgu.gov.br/sobre/auditorias/arquivos/2004-a-2001/relatorio_gestao_cgu_2001.pdf/view. Acesso em: 28 jan. 2020.

CORREGEDORIA-GERAL DA UNIÃO. Relatório de Atividades da Corregedoria-Geral da União no ano de 2002. Brasília, 2002. Disponível em: http://www.cgu.gov.br/sobre/auditorias/arquivos/2004-a-2001/relatorio_gestao_cgu_2002.pdf. Acesso em: 28 jan. 2020.

COSTA, Frederico Lustosa da; COSTA, Elza Marinho Lustosa da. Nova história da administração pública brasileira: pressupostos teóricos e fontes alternativas. Revista de Administração Pública, v. 50, n. 2, p. 215-236, mar./abr. 2016. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rap/article/view/60843. Acesso em: 28 jan. 2020.

DUNION, Kevin. A resolução pacífica de conflitos em recursos à CGU. Brasília, 2016. Disponível em: http://ouvidorias.gov.br/ouvidorias/resolucao-pacifica-de-conflitos/resolucao-pacifica-de-conflitos-em-recursos-a-cgu.pdf. Acesso em: 28 jan. 2020.

FERRAZ, Claudio; FINAN, Frederico. Exposing corrupt politicians: the effects of Brazil´s publicly released audits on electoral outcomes. The Quarterly Journal of Economics, 2008, p. 703–745. Disponível em: https://academic.oup.com/qje/article-abstract/123/2/703/1930865?redirectedFrom=fulltext. Acesso em: 28 jan. 2020.

LOUREIRO, Maria Rita et al. Do controle interno ao controle social: a múltipla atuação da CGU na democracia brasileira. Cadernos Gestão Pública e Cidadania, v. 17, n. 60, p. 54–67, jan./jun. 2012. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/cgpc/article/view/3980. Acesso em: 28 jan. 2020.

LUHMANN, Niklas. Organizatión y décisión. Cidade do México: Herder, 2010.

LUHMANN, Niklas. Sociología política. Madrid, Espanha: Trotta, 2014.

LUHMANN, Niklas. O direito da sociedade. São Paulo: Martins Fontes, 2016.

MACHADO, Bruno Amaral. Justiça criminal, organizações e sistemas de interação: discursos sobre o inquérito policial. Revista Brasileira de Ciências Criminais, v. 21, n. 104, p. 205–234, 2013.

MACHADO, Bruno Amaral. Justiça criminal: diferenciação funcional, interações organizacionais e decisões. São Paulo: Marcial Pons, 2014a.

MACHADO, Bruno Amaral. A diferenciação interna do subsistema jurídico-penal: história, organizações e trajetórias. Revista de Estudos Criminais, v. 12, n. 52, p. 81–113, 2014b. Disponível em: http://www.itecrs.org/edicoes/ano:2014/titulo:v12n52p81-113. Acesso em: 28 jan. 2020.

MICHENER, Gregory et al. Da opacidade à transparência? Avaliando a Lei de Acesso à Informação no Brasil cinco anos depois. Revista de Administração Pública, v. 52, n. 4, p. 610–629, 2018. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rap/article/view/75716. Acesso em: 28 jan. 2020.

MINISTÉRIO DA TRANSPARÊNCIA E CONTROLADORIA-GERAL DA UNIÃO. Aplicação da Lei de Acesso à Informação na Administração Pública Federal. Brasília, 2017. Disponível em: http://www.acessoainformacao.gov.br/lai-para-sic/sic-apoio-orientacoes/guias-e-orientacoes/aplicacao-lai-3a-ed-web-002.pdf. Acesso em: 28 jan. 2020.

MOURA, Emerson Affonso da Costa. Transparência administrativa, lei federal nº 12.527/2011 e sigilo dos documentos públicos: A inconstitucionalidade das restrições ao acesso à informação. Revista Brasileira de Políticas Públicas, v. 6, n. 2, p. 38-56, 2016. Disponível em: https://www.publicacoesacademicas.uniceub.br/RBPP/article/view/4141/pdf. Acesso em: 28 jan. 2020.

OLIVIERI, Cecília. Política e burocracia no Brasil: o controle sobre a execução das políticas públicas. Tese - Escola de Administração de Empresas, Fundação Getúlio Vargas, São Paulo, 2008. Disponível em: https://bibliotecadigital.fgv.br/dspace/handle/10438/4656. Acesso em: 28 jan. 2020.

OUVIDORIA-GERAL DA UNIÃO. Manual/Wiki da CGRAI. Brasília, 2018. Cedido pelo autor por meio de pedido de acesso a informações.

RIBEIRO, Érica Bezerra Queiroz. Transparência e proteção da privacidade nas decisões da Controladoria-Geral da União: uma análise organizacional-sistêmica. Tese - Centro Universitário de Brasília, 2019. No prelo.

ROCHA, Leonel Severo; AZEVEDO, Guilherme de. Notas para uma teoria da organização da decisão jurídica autopoiética. Revista de Estudos Constitucionais, Hermenêutica e Teoria do Direito, v. 4, n. 2, p. 193–213, 2012. Disponível em: http://revistas.unisinos.br/index.php/RECHTD/article/view/rechtd.2012.42.09. Acesso em: 28 jan. 2020.

SADEK, Maria Tereza (Org.). O judiciário em debate. São Paulo: Sumaré, 1995.

SANTOS, Romualdo Anselmo dos. Institutionalising Anti-Corruption in Brasil: the Path of the Controladoria-Geral da União (CGU). Tese - University of Sheffield, Inglaterra, 2013. Disponível em: https://repositorio.cgu.gov.br/handle/1/29779. Acesso em: 28 jan. 2020.

SEIDL, David. Organization identity in Luhmann´s theory of social systems. In: BAKKEN, Tore; HERNES, Tor (Eds.). Autopoietic Organization Theory: drawing on Nicklan Luhmann´s social systems perspective. Copenhague: Copenhagen Business School Press, 2003. p. 123–150.

WARTHA, Patrícia Maino. Transparência na e da administração pública: (in) compatibilidade entre visibilidade e demais preceitos constitucionais a partir da análise ao caso concreto por meio da ADPF 144 do STF. Revista Brasileira de Políticas Públicas, v. 1, n. 2, p. 31-50, jul./dez. 2011. Disponível em: https://www.publicacoesacademicas.uniceub.br/RBPP/article/view/1251/1268. Acesso em: 28 jan. 2020.




DOI: http://dx.doi.org/10.5102/rbpp.v10i1.6507

ISSN 2179-8338 (impresso) - ISSN 2236-1677 (on-line)

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia