Desenhando modelos de sistemas de disputas para a administração pública : proposições acerca da política pública de fornecimento de medicamentos pelo viés do diálogo institucional

Maira Lopes de Castro, Monica Teresa Costa Sousa

Resumo


O objetivo do presente estudo é propor a metodologia do Desenho de Sistema de Disputas como uma via possível de adoção pela Administração Pública, no que tange ao enfrentamento das conflitivas decorrentes da ineficiência da política pública nacional de medicamentos. Aborda-se, inicialmente, a judicialização de políticas públicas na área da saúde e seus impactos sob o erário. Em um segundo momento, apresenta-se as bases metodológicas do Desenho de Sistema de Disputas, enfatizando a necessidade de adoção de diálogos institucionais entre todas as esferas de poder. Na sequência, a fim de consolidar o objetivo do artigo, discorre-se acerca dos modelos existentes e possíveis no âmbito da Administração Pública, explorando o Termo de Cooperação Técnica para Assistência Farmacêutica firmado pela Defensoria Pública do Estado do Maranhão, bem como a experiência do Projeto Acessa SUS, no Estado de São Paulo. O trabalho justifica-se assim pela necessária revisão do intervencionismo do Poder Judiciário frente a políticas públicas institucionalizadas com hierarquias e competências pré-estabelecidas. Visa-se sobretudo propor modelos que atendam à perspectiva de jurisdição enquanto acesso à ordem jurídica justa. Para realização do objetivo proposto, adota-se o método de abordagem indutivo.

Palavras-chave


Sistema de disputas; Saúde; Administração Pública

Texto completo:

PDF

Referências


CONSELHO NACIONAL DE JUSTIÇA. Justiça em números 2017: ano base 2016. Brasília: CNJ, 2017.

BARROSO, Luís Roberto. Da falta de efetividade à judicialização excessiva: direito à saúde, fornecimento gratuito de medicamentos e parâmetros para a atuação judicial. Disponível em: https://www.conjur.com.br/dl/estudobarroso.pdf. Acesso em: 12 de julho de 2018.

FALECK, Diego. Introdução ao Design de Sistema de Disputas: Câmara de Indenização 3054. In: Revista brasileira de arbitragem, ano V, n. 23. São Paulo: IOB, 2009.

GRINOVER, Ada Pellegrini. Ensaio sobre a processualidade:fundamentos para uma nova teoria geral do processo. Brasília/DF: Gazeta Jurídica, 2018.

JUNIOR, Osvaldo Canela. Orçamento e a “reserva do possível”: dimensionamento no controle judicial de políticas públicas. In: GRINOVER, Ada Pellegrini; WATANABE, Kazuo (Coords.). O controle jurisdicional de políticas públicas. 2.ed. Rio de Janeiro: Forense, 2013. p.213-225.

OSTIA, Paulo Henrique Raiol. Desenho de sistema de solução de conflito: sistemas indenizatórios em interesses individuais homogêneos. Dissertação (Mestrado em Direito Processual) – Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. São Paulo, 2014.

RIOS-SANTOS, Fabrício. Direito médico: medicina de evidências e o direito à saúde – a justiça e os avanços para efetivação da prestação jurisdicional. Curitiba: Juruá, 2017

SADEK, Maria Tereza. Judiciário e Arena Pública: um olhar a partir da Ciência Política.In: GRINOVER, Ada Pellegrini; WATANABE, Kazuo (Coords.). O controle jurisdicional de políticas públicas. 2.ed. Rio de Janeiro: Forense, 2013. p.1-33.

SARLET, Ingo Wolfgang. A eficácia dos direitos fundamentais: uma teoria geral dos direitos fundamentais na perspectiva constitucional. e-book.11 ed. Porto Alegre: Livraria do Advogado Editora, 2012.

____. Algumas considerações em torno do conteúdo, eficácia e efetividade do direito á saúde na Constituição de 1988. Revista Eletrônica sobre a Reforma do Estado (RERE). Salvador, Instituto Brasileiro de Direito Público, nº 11, setembro/outubro/novembro, 2007. Disponível em: www.direitodoestado.com.br/rere.asp. Acesso em: 11 de julho de 2018.

SUNSTEIN, Cass R.; HOLMES, Stephen. El costo de losderechos. Por quélalibertad depende de losimpuestos. Buenos Aires: SigloVeintiuno Editores, 2012.




DOI: http://dx.doi.org/10.5102/rbpp.v8i3.5639

ISSN 2179-8338 (impresso) - ISSN 2236-1677 (on-line)

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia