Direitos de propriedade e instrumentos econômicos de regulação ambiental: uma análise das atribuições implícitas

Laura Meneghel dos Santos, Antônio José Maristrello Porto, Rômulo Silveira da Rocha Sampaio

Resumo


Considerando que a sobre-exploração dos recursos naturais está, muitas vezes, associada a falta ou insegurança de direitos de propriedade sobre recursos, bens e serviços que beneficiam a sociedade como um todo, esse trabalho aborda o tratamento dessa problemática pelos instrumentos econômicos de gestão e regulação ambiental. Com base no referencial analítico de Direitos de Propriedade proposto nos trabalhos de Elinor Ostrom, Guido Calabresi e Douglas Melamed, foram analisados três instrumentos econômicos de gestão ambiental (tributação, sistemas de certificados negociáveis e pagamentos por serviços ambientais), assim como uma experiência brasileira de cada um deles
Observamos que ao tentar estabelecer um sistema econômico mais eficiente e sustentável via internalização de externalidade ambientais, os instrumentos econômicos de gestão ambiental engendram uma variedade de formas de atribuição tácitas de direitos de propriedade relativos ao meio ambiente.
Ou seja, para que resultados eficientes (tanto ambientalmente quanto economicamente) possam ser de fato gerados, é essencial que o Direito atue no sentido de garantir a segurança jurídica dessas atribuições, formalizando arranjos institucionais claros e impondo sanções efetivas para aqueles que não forem complacentes com a modelagem jurídica e econômica estabelecida para os instrumentos. Fica claro, portanto, que uma política ambiental eficaz não pode prescindir de um tratamento multidisciplinar que se aproprie das ciências jurídica e econômica.

Palavras-chave


externalidades; direitos de propriedade; instrumentos econômicos de gestão ambiental.

Texto completo:

PDF

Referências


BARZEL, Yoram. Economic analysis of property rights. Cambridge university press, 1997.

BENEVIDES, Gustavo et al. Tributação como instrumento promotor da sustentabilidade: mito ou verdade? Um estudo nos municípios componentes da Região do Grande ABC. In: Anais do XVIII Congresso Brasileiro de Custos – Rio de Janeiro - RJ, Brasil, 07 a 09 de novembro de 2011.

BERNARDES, Carolina; SOUSA JÚNIOR, Wilson. Pagamento por serviços ambientais: experiências brasileiras relacionadas à água. ENCONTRO NACIONAL DA ANPPAS, v. 5, p. 4-7, 2010.

CALABRESI, Guido; MELAMED, A. Douglas. Property rules, liability rules, and inalienability: one view of the cathedral. In: Harvard Law Review, Cambridge, MA, p. 1089-1128, 1972.

CÁNEPA, Eugenio Miguel. Economia da poluição. In: Economia do meio ambiente: teoria e prática. Rio de Janeiro: Elsevier, p. 79-98, 2010.

COASE, Ronald. The Problem of Social Cost. In: Journal of Law and Economics, Chicago, IL, v. 3, n. 1, p. 1-44, 1960.

COLE, Daniel H.; GROSSMAN, Peter Z. The meaning of property rights: law versus economics? Land Economics, Madison, WI, v. 78, n. 3, p. 317-330, 2002.

COSTA, Simone S. Thomazi. Introdução à economia do meio ambiente. In: Análise –Revista de Administração da PUCRS, Porto Alegre, v. 16, n. 2, p. 301-323, ago./dez. 2005.

COUTINHO, Diogo. O Direito nas Políticas Públicas. In: Política Pública como Campo Disciplinar (Eduardo Marques e Carlos Aurélio Pimenta de Faria, orgs.). Rio de Janeiro/São Paulo: Ed. Unesp, Ed. Fiocruz, 2013, p. 181-200.

KENNEDY, David; FISHER III, William W. The canon of American legal thought. Princeton, NJ: Princeton Univ. Press, 2006.

LOUREIRO, Wilson; MARTINEZ, Alexandre. ICMS Ecológico como instrumento de apoio às RPPN do Paraná. In: CASTRO, R.; BORGES, M. (Orgs.). RPPN: conservação em terras privadas, desafios para a sustentabilidade. Planaltina do Paraná: Edições CNRPPN, 2004.

LOUREIRO, Wilson. Contribuição do ICMS Ecológico a Conservação da Biodiversidade no Estado do Paraná. Tese de Doutorado. 189 p. Programa de Pós-Graduação em Engenharia Florestal. Universidade Federal do Paraná, Curitiba, 2002.

LUSTOSA, Maria Cecília Junqueira; CÁNEPA, Eugenio Miguel; YOUNG, Carlos EF. Política ambiental. Economia do meio ambiente: teoria e prática. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010.

MARGULIS, Sergio. A regulamentação ambiental: instrumentos e implementação. Rio de Janeiro: IPEA, 1996. (Texto para Discussão, n. 437).

LUKIC, Melina Rocha. Instrumentos tributários para a sustentabilidade: uma análise comparativa da destinação do ICMS pelos estados segundo critérios ambientais. In: Tributação e sustentabilidade ambiental/ Ana Alice De Carli, Leonardo De Andrade Costa, Ricardo Lodi Ribeiro – Organizadores. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2015, p. 177-198.

MAY, Peter H. et al. Cotas de reserva ambiental no novo código florestal brasileiro: Uma avaliação ex-ante. Publicação Ocasional 146. Bogor, Indonesia: CIFOR, 2015.

MELLO, Maria Tereza Leopardi; ESTEVES, Heloísa Lopes Borges. Property Rights - building an interdisciplinary approach. Trabalho apresentado no Colloque Charles Gide, Paris, maio/2010.

MILARÉ, Édis. Direito do ambiente: doutrina, prática, jurisprudência, glossário. 4ª ed. Rev., atual. e ampli. São Paulo: Editora Revista dos Tribunais, 2005.

MOTTA, Ronaldo Seroa da. Manual para valoração econômica de recursos ambientais. IPEA/MMA/PNUD/CNPq, 1997.

MOTTA, Ronaldo Seroa da. O uso de instrumentos econômicos na gestão ambiental. Rio de Janeiro: IPEA, 2000.

OLIVEIRA, Gustavo. A extrafiscalidade ambiental e a alíquota mínima do ISS. In: Tributação e sustentabilidade ambiental/ Ana Alice De Carli, Leonardo De Andrade Costa, Ricardo Lodi Ribeiro – Organizadores. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2015, p. 217-222.

OSTROM, Elinor. Private and common property rights In: B. Bouckaert, G. De Geest (Eds.), Encyclopedia of Law and Economics. Edward Elgar Publishing, Cheltenham, 2000, p. 332–379.

PERMAN, Roger. et al. Natural resource and environmental economics. Harlow, Pearson Education, 2003.

PERROT-MAITRE, Daniéle. The Vittel payments for ecosystem services: a “perfect” PES case. International Institute for Environment and Development, London, UK, 2006. Disponível em: .

PORTO, Antônio José Maristrello; FRANCO, Paulo Fernando. Uma Análise Também Econômica do Direito de Propriedade/Also an Analysis of Economic Property Rights. Economic Analysis of Law Review, v. 7, n. 1, p. 207-232, 2016.

REIS, Eustáquio J.; MOTTA, Ronaldo Seroa da. The application of economic instruments in environmental policy: the Brazilian case. Revista Brasileira de Economia, Rio de Janeiro, v. 48, n. 4, p. 551-576, 1994.

RIBEIRO, Ricardo. A extrafiscalidade ambiental no ICMS. In: Tributação e sustentabilidade ambiental/ Ana Alice De Carli, Leonardo De Andrade Costa, Ricardo Lodi Ribeiro – Organizadores. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2015, p. 45-62.

ROMEIRO, Ademar Ribeiro. Economia ou economia política da sustentabilidade. In: Economia do meio ambiente. Rio de Janeiro: Elsevier Brasil, 2010.

ROSSI, Aldimar; MARTINEZ, Antonio Lopo; NOSSA, Valcemiro. ICMS Ecológico sob o enfoque da tributação verde como meio da sustentabilidade econômica e ecológica: experiência do Paraná. Revista de Gestão Social e Ambiental, São Paulo, v. 5, n. 3, p. 90-101, 2011.

SILVA, Jessica; RANIERI, Victor. O mecanismo de compensação de reserva legal e suas implicações econômicas e ambientais. Ambiente & Sociedade, São Paulo, v. 17, n. 1, p. 115-132, 2014.

SEEHUSEN, Susan; PREM, Ingrid. Porque pagamentos por serviços ambientais? In: Pagamentos por Serviços Ambientais na Mata Atlântica: lições aprendidas e desafios / Fátima Becker Guedes e Susan Edda Seehusen; Organizadoras. – Brasília: MMA, 2011, p. 15-54.

VEIGA, Fernando; GALVADÃO, Mariana. Iniciativas de PSA de Conservação dos Recursos Hídricos na Mata Atlântica. In: Pagamentos por Serviços Ambientais na Mata Atlântica: lições aprendidas e desafios / Fátima Becker Guedes e Susan Edda Seehusen; Organizadoras. – Brasília: MMA, 2011, p. 123-182.

WUNDER, Sven. Necessary conditions for ecosystem service payments. Paper apresentado na Economics and Conservation in the Tropics: A Strategic Dialogue conference, Moore Foundation/ CSF/ RFF, São Francisco, 31 Janeiro – 1 Fevereiro, 2008. Disponível em: . Acessado dia 15/02/2017.

YOUNG, Carlos Eduardo; BAKKER, Leonardo. Payments for ecosystem services from watershed protection: A methodological assessment of the Oasis Project in Brazil. In: Revista Natureza & Conservação, Curitiba, Vol. 12. Num. 1. P. 71-78, 2014.

YOUNG, Carlos Eduardo; BAKKER, Leonardo. Instrumentos econômicos e pagamentos por serviços ambientais no Brasil. Incentivos Econômicos para Serviços Ecossistêmicos no Brasil. Rio de Janeiro: Forest Trends, p. 33-56, 2015.




DOI: http://dx.doi.org/10.5102/rbpp.v7i2.4633

ISSN 2179-8338 (impresso) - ISSN 2236-1677 (on-line)

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia