Judicialização da saúde, ativismo judicial e o consequente desequilíbrio do orçamento público

Juvêncio Borges Silva, João Paulo Jucatelli

Resumo


A judicialização e o ativismo judicial são uma realidade que permeia as relações jurídicas, sociais e políticas da sociedade brasileira. São diversas as causas que lhe deram ensejo, sendo que os documentos Constitucionais surgidos no período pós Segunda Guerra Mundial em muito contribuíram para a origem deste fenômeno. A administração da justiça, com vistas à preservação da ordem democrática Constitucional e em face do déficit representacional dos poderes eletivos para com a sociedade no atual contexto político nacional, tem se valido da judicialização e do ativismo judicial com vistas a realizar justiça. No entanto, em nome deste processo, tem-se manifestado sinais de interferências do Poder Judiciário em face dos outros Poderes da República. O presente artigo objetiva, portanto, discutir a legitimidade destas ingerências, mormente no caso das políticas públicas de saúde, na medida em que lhes impõe obrigações cujos custos financeiros provocam verdadeiros desarranjos nos orçamentos públicos, colocando em risco a organização e execução das políticas públicas priorizadas por cada uma destas esferas de Poder da República, reclamando, assim, que sejam fixados limites a esta prática de modo a assegurar o equilíbrio e autonomia entre todos os Poderes. A pesquisa se limitará à judicialização das políticas públicas de saúde e sua repercussão na Administração Pública, considerando sua legitimidade e constitucionalidade, valendo-se para tanto do método analítico-dedutivo.

Palavras-chave


Judicialização; Ativismo Judicial; Saúde Pública; Orçamento Público

Texto completo:

PDF

Referências


ALEXY, 1993 apud MENDES; BRANCO, Paulo Gustavo Gonet. Curso de Direito Constitucional. 9ª ed. rev. e atual. – São Paulo: Saraiva, 2014.

ALEXY, Robert. Teoria dos Direitos Fundamentais. 2ª ed. Editora Malheiros: São Paulo, 2011.

BARCELLOS, Ana Paula. A Eficácia Jurídica dos Princípios Constitucionais: O princípio da dignidade da pessoa humana. 2.ed. Rio de Janeiro: Renovar, 2008.

BARROSO, Luís Roberto. Judicialização, Ativismo Judicial e Legitimidade Democrática”. Disponível em: . Acesso em: 10 ago. 2015.

BARROSO, Luís Roberto. Curso de Direito Constitucional Contemporâneo: os conceitos fundamentais e a construção do novo modelo. 5. ed. São Paulo: Saraiva, 2015.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Disponível em . Acesso em 03.mar.2016.

BRASIL. Lei 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Disponível em < http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8080.htm>. Acesso em16.abr.2016.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Recurso Extraordinário 195.192-3, Rel. Min. Marco Aurélio, DJU 22.2.2000. Disponível em: . Acesso em16.abr.2016.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Notícias STF. Disponível em: . Acesso em: 19.Abr.2016

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Súmula Vinculante nº. 13. Disponível em: . Acesso em: 19.Abr.2016

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Recurso Extraordinário 197.917/2004. Disponível em: . Acesso em: 19.Abr.2016

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Recurso Extraordinário 255627 AgR, Relator(a): Min. NELSON JOBIM, Segunda Turma, julgado em 21/11/2000, DJ 23-02-2001. Disponível em: . Acesso em16.abr.2016.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Petição 3388. Rel. Min. Roberto Barroso. Disponível em: . Acesso em: 19.Abr.2016

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Suspensão de Tutela Antecipada175- -AgR/CE, Rel. Min. GILMAR MENDES. Julgamento: 17.3.2010. DJe nº 76. Publicação: 30/04/2010. Disponível em: . Acesso em16.abr.2016.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. RE 195.192-3, Rel. Min. Marco Aurélio, DJU 22.2.2000.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. RE 255627 AgR, Relator(a): Min. NELSON JOBIM, Segunda Turma, julgado em 21/11/2000, DJ 23-02-2001

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. STA 175- -AgR/CE, Rel. Min. GILMAR MENDES. Julgamento: 17.3.2010. DJe nº 76. Publicação: 30/04/2010.

BRASIL. Supremo Tribunal Federal. Repertório jurisprudencial da Corte

BULOS, UadiLammêgo. Curso de Direito Constitucional. 9. ed. rev. e atual. de acordo com a Emenda Constitucional n. 83/2014, e os últimos julgados do Supremo Tribunal Federal. São Paulo: Saraiva 2015.

CUNHA, Paulo Ferreira da.Direito Constitucional Geral: uma perspectiva luso-brasileira. São Paulo: Método, v. 3, 2007.

GOHN, Maria Gloria. Abordagens Teóricas no Estudo dos Movimentos Sociais na América Latina. Disponível em: . Acesso em: 30 ago. 2015.

HABERMAS, Jurgen. Direito e Democracia entre factilidade e validade. Ed. Tempo Brasileiro. Rio de Janeiro: 1997, vol1.

HESSE, Konrad. A Força Normativa da Constituição. Traduzido em português por Gilmar Ferreira Mendes. Editora: Sérgio Antônio Fabris, Porto Alegre: 1991.

MENDES, Gilmar Ferreira; BRANCO, Paulo Gustavo Gonet. Curso de Direito Constitucional. 9ª ed. rev. e atual. – São Paulo: Saraiva, 2014.

SARLET, Ingo Wolgang; FIGUEIREDO, Mariana Filcbtiner. O direito Fundamental à Proteção e Promoção da Saúde no brasil: Principais Aspectos e Problemas. Disponível em:

Acesso em: 03 set. 2015

TEIXEIRA, Anderson Vichinkeski. Ativismo Judicial: nos limites entre racionalidade jurídica e decisão política. Rev. Direito GV, vol. 8, n. 1. São Paulo Jan./Jun 2012. Disponível em: . Acesso em: 01 ago. 2015.

TEIXEIRA, Anderson Vichinkeski. Ativismo Judicial: nos limites entre racionalidade jurídica e decisão política. Rev. direito GV, vol. 8, no. 1 São Paulo Jan./Jun 2012. Disponível em: . Acesso em: 01 set. 2015.

TORRES, Ricardo Lobo. O mínimo Existencial e os Direitos Fundamentais. Disponível em: . Acesso em: 02 set. 2015.

VIANNA, Luiz Werneck. A Judicialização da Política e das Relações Sociais no Brasil. São Paulo: Revan, 1.999

VIANNA, Luiz Werneck e outros. A judicialização da política e das relações sociais no Brasil. Rio de Janeiro: Revan: setembro de 1999. 2ª edição, 2014.

VIDOTTE, Alexandre Ferrari. Direitos coletivos e cidadania: a judicialização de políticas públicas de saúde e efeitos na gestão administrativa do Estado de São Paulo, Ribeirão Preto: 2014.




DOI: http://dx.doi.org/10.5102/rbpp.v7i1.4454

ISSN 2179-8338 (impresso) - ISSN 2236-1677 (on-line)

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia