A Hegemonia Estadunidense e o Protocolo Adicional para Aplicação de Salvaguardas no âmbito do TNP: uma análise a partir de Gramsci - 10.5102/uri.v4i1.276

Martha Kellen Gonçalves Machado

Resumo


O Protocolo Adicional do Tratado de Não Proliferação foi criado para aumentar a aplicação de salvaguardas nos países não possuidores de armas nucleares. Os EUA têm se empenhado na defesa desse Protocolo, desde seu surgimento. O que desejam é que esse Protocolo entre em vigor em todos os países signatários, para dificultar a proliferação de armas nucleares. Essa posição dos EUA se submete a uma avaliação crítica pormenorizada, por meio do entendimento de hegemonia do pensador político Antonio Gramsci, aplicado às Relações Internacionais. Essa mesma hegemonia é vista no tratamento dispensado pelos EUA ao Protocolo Adicional, pois a Agência Internacional de Energia Atômica acatou esse Protocolo e tem feito o possível para que ele seja adotado unanimemente. Os EUA, por sua vez, têm agido de forma a mostrar os benefícios que os países que aceitarem esse Protocolo terão. Conclui-se que o conceito de hegemonia em Gramsci tem aplicabilidade eficaz na análise do Protocolo Adicional, e que a posição estadunidense se expressa como hegemônica.

Palavras-chave


Hegemonia; Gramsci; Protocolo Adicional do TNP; Não-Proliferação; Desarmamento.

Texto completo:

Texto Completo


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/uri.v4i1.276

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1807-2135 (impresso) - ISSN 1982-0720 (on-line) - e-mail: universitas.rel@uniceub.br

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia