A Crise na Zona do Euro: uma lição para a Europa 10.5102/uri.v10i2.2076

Márcio de Oliveira Júnior

Resumo


Este artigo aborda a encruzilhada em que se encontra a União Europeia desde o advento da crise financeira mundial iniciada em 2008; A União Europeia não consegue chegar a um acordo acerca do melhor meio para enfrentar a crise que assola seus membros. A adoção da moeda única criou condições distintas em cada membro. Considera-se que a crise europeia é econômica e política. Os países membros da zona do euro não podem fazer uso das políticas econômicas tradicionais (fiscal, monetária e cambial). Por outro lado, também não podem continuar financiando seus déficits por meio de endividamento público e tampouco conseguem aumentar sua arrecadação. Para dar sustentação ao argumento de que a crise é política e econômica, trabalha-se com os conceitos de Área Monetária Ótima e Federalismo Fiscal. Argumenta-se que a melhor solução para a Zona do Euro é adotar um modelo de Federalismo Fiscal que permita a transferência de recursos a Estados membros, principalmente diante de choques adversos como o que se vê atualmente.

Palavras-chave


União Monetária Europeia, Crise Europeia, Federalismo Fiscal, Área Monetária Ótima.

Texto completo:

Texto Completo


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/uri.v10i2.2076

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1807-2135 (impresso) - ISSN 1982-0720 (on-line) - e-mail: universitas.rel@uniceub.br

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia