A Liberalização Comercial e o Grau de Abertura da Economia Brasileira 10.5102/uri.v10i2.1743

André Nunes, Fernando Antônio Ribeiro Soares

Resumo


O artigo trata das mudanças ocorridas na economia brasileira decorrentes da liberalização comercial dos anos 1990. Em especial, é discutida a alteração do grau de abertura no país. Para tanto, utiliza-se o coeficiente de abertura tradicional para o setor industrial, proposto por Haguenauer, Markwald e Pourchet (1998). São também construídas outras duas medidas: (i) o coeficiente agregado de abertura; e (ii) os coeficientes de abertura para os setores industrial (outra versão) e agropecuário. Os resultados obtidos indicam uma ampliação dos fluxos comerciais no que se refere às importações, sem, contudo, apresentar a elevação correspondente pelo lado das exportações, excetuando-se no que se refere às exportações provenientes do setor agropecuário. Dessa forma, evidencia-se que as variações ocorridas nos coeficientes de abertura, além do efeito da abertura comercial, também foram fortemente afetadas pelo comportamento da taxa de câmbio.

Palavras-chave


liberalização comercial; abertura econômica; medidas de abertura; coeficientes e abertura.

Texto completo:

Texto Completo


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/uri.v10i2.1743

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1807-2135 (impresso) - ISSN 1982-0720 (on-line) - e-mail: universitas.rel@uniceub.br

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia