A Primavera do Islã e a Ilusão Pretensiosa da Universalização da modernidade 10.5102/uri.v9i2.1476

Danilo Porfírio de Castro Vieira

Resumo


A abordagem sobre as revoltas muçulmanas no norte da África e no Oriente Médio carece de
compromisso por parte dos analistas ocidentais. Os referenciais teóricos utilizados para o estudo
desses movimentos são os padrões eurocêntrico-modernos de liberdade e democracia. As
consequências dessas análises míopes variam entre conclusões otimistas ingênuas ou pessimistas
ideológicas. Cabem estabelecer critérios de reconhecimento e tradução para a identificação de
valores político-jurídicos, ligados à participatividade e cidadania, próprios da tradição Islâmica.
Palavras Chaves: revoltas, Islã, modernidade, tradução, reconhecimento, cidadania, democracia,
resistência.

Palavras-chave


revoltas, Islã, modernidade, tradução, reconhecimento, cidadania, democracia.

Texto completo:

Texto Completo


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/uri.v9i2.1476

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1807-2135 (impresso) - ISSN 1982-0720 (on-line) - e-mail: universitas.rel@uniceub.br

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia