A sul-americanidade da política externa brasileira no governo de Fernando Henrique Cardoso 10.5102/uri.v9i1.1379

Tamara Gregol de Farias

Resumo


A prioridade conferida às relações do Brasil com os parceiros sul-americanos e com a política regionalista demonstra a universalidade adotada na política externa brasileira pelos respectivos governos. Nesse contexto, a vertente sul-americana das relações internacionais brasileira viveu um novo recomeço a partir da redemocratização na região e da mudança de paradigmas de desenvolvimento nas relações internacionais – Estado Normal e Estado Logístico. Ademais, a intensa globalização dos meios de produção e das finanças exigiu do Estado novas posturas diante do cenário mundial. É o caso da integração regional como meio de atenuar e equilibrar os efeitos da inserção mundial e da abertura ao comércio internacional nos países em desenvolvimento.

Palavras-chave


América do Sul. Política Externa Brasileira. Governo Fernando Henrique Cardoso. Integração Regional.

Texto completo:

Texto Completo


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/uri.v9i1.1379

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1807-2135 (impresso) - ISSN 1982-0720 (on-line) - e-mail: universitas.rel@uniceub.br

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia