As relações exteriores do mercosul: análise das negociações com a união européia 10.5102/uri.v9i1.1359

Jamile Bergamaschine Mata Diz, Roberto de Almeida Luquini Luquini

Resumo


As relações entre a União Européia e América Latina sempre estiveram marcadas por períodos descontinuados de avanços e retrocessos. Desde a formação do processo comunitário em 1951, foram firmados acordos de cooperação que implicaram, ao longo de cinco décadas, num aprofundamento dos laços entre Europa e América Latina. Neste sentido, o objetivo do presente trabalho é analisar a evolução das relações entre a União Européia e América Latina, buscando examinar os elementos determinantes existentes nas negociações entre o Mercosul e o processo europeu. A análise realizada centrar-se-á nas três dimensões (comércio, diálogo político e cooperação) presentes no acordo firmado entre ambas as regiões, com o intuito de demarcar os principais pontos de convergência e divergência que, até o presente momento, não permitiram a adoção de um acordo de livre comércio. Deve-se alertar para a importância das relações econômicas entre a União Européia e o Mercosul considerando o peso ponderado – com referência a outros atores do sistema internacional – do processo europeu comunitário no comércio exterior com os países sul-americanos. No plano das relações políticas, a decisão da União Européia de iniciar as negociações para um acordo inter-regional com o Mercosul está adstrito a uma estratégia global: o estabelecimento de mecanismos de contrapeso no equilíbrio dos blocos, em um mundo dominado pela globalização e pelo regionalismo aberto.

Palavras-chave


relações eurolatinoamericanas, União Européia, Mercosul, acordos de associação, negociações, âmbitos de incidência.

Texto completo:

Texto Completo


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/uri.v9i1.1359

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 1807-2135 (impresso) - ISSN 1982-0720 (on-line) - e-mail: universitas.rel@uniceub.br

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia