Seguimento tardio de pacientes portadores de doença arterial coronariana. A opção terapêutica refletiu as recomendações contidas nos guidelines?

Thiago do Amaral Cavalcante, Eduardo José Ferreira Sales, Helmgton José Brito de Souza

Resumo


O tratamento empregado para a Doença Arterial Coronariana (DAC) poderá ser clínico e/ou invasivo, através das terapias de reperfusão miocárdica. Os guidelines propostos e vigentes, pelo American College of Cardiology Foundation (ACC) e pela American Heart Association (AHA), tem por finalidade orientar a prática clínica, na escolha do tratamento mais apropriado, amparado nas evidências científicas - guidelines e pareceres de especialistas, para determinar se os benefícios superam os riscos relacionados a cada uma dessas modalidades terapêuticas. Nesse contexto, o escore SYNTAX, avalia diversos fatores clínicos, sendo uma ferramenta angiográfica, criada para auxiliar na avaliação da complexidade das lesões das artérias coronárias. O seu uso conforme os guidelines evidencia resultados cada vez mais significativos com melhores desfechos, trazendo assim, uma segurança maior na tomada de decisão da equipe multidisciplinar. Assim sendo, no presente estudo além de verificar se o tratamento empregado para pacientes portadores de DAC, diagnosticados a partir de coronarioangiografia (CATE), respeitou as recomendações previstas nos guidelines propostos e pelo estudo SYNTAX, também serão avaliadas as consequências tardias da opção terapêutica na qualidade de vida dos pacientes. Trata-se de estudo transversal, observacional, descritivo, retrospectivo e prospectivo, realizado em um hospital privado do Distrito Federal, que utilizou os registros de prontuários médicos, entre janeiro de 2014 a março de 2017, e informações fornecidas por telefone pelos pacientes ou seus familiares. O estudo foi dividido em duas etapas. Na primeira etapa, foram pré-selecionados todos os pacientes diagnosticados com DAC que apresentavam doença obstrutiva em pelo menos dois vasos, segundo laudo de CATE. Esses exames foram avaliados por especialistas que desconheciam o tratamento a qual cada paciente foi submetido, bem como desconheciam os desfechos clínicos ocorridos. Em seguida foram calculados os SYNTAX escores 1 e 2. Comparou-se então, o tratamento recomendado pelo cálculo do SYNTAX escore 2, ao tratamento a que cada paciente foi submetido. Na segunda etapa, os pacientes incluídos no estudo foram subdivididos, em anos, de acordo com o tempo desde a realização do tratamento inicial. Em seguida, esses pacientes ou seus familiares foram contatados por telefone para que fossem avaliados seus desfechos clínicos. Inicialmente, foram obtidos 315 pacientes pré-selecionados, 105 foram excluídos. Quanto ao tratamento empregado notou-se que dos 55 pacientes do grupo de baixo risco que teriam indicação de tratamento percutâneo, 48 (87,3%) de fato o realizaram. Dos 69 pacientes do grupo de risco intermediário, que a indicação terapêutica recomendada seria cirúrgica, apenas 2 pacientes (2,9%) foram submetidos a cirurgia. Mesma situação do grupo de 86 pacientes de alto risco que apenas 22 pacientes (25,86%) realizaram a cirurgia. Na amostra estudada, o tratamento oferecido aos pacientes portadores de DAC não está seguindo as diretrizes e recomendações amplamente consolidadas na literatura universal. A ampliação do tamanho da amostra, com a inclusão de outras instituições poderá ampliar a margem de avaliação da situação atual do tratamento da doença arterial coronariana no Brasil

Palavras-chave


Doença Arterial Coronariana. SYNTAX score. Seguimento tardio.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/pic.n1.2018.6409

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia