Caracterização da atividade antioxidante e antibiótica de extratos de plantas medicinais

Amanda Sagrilo Tondolo, Carlos Alberto da Cruz Junior

Resumo


A Centella asiatica é uma planta medicinal utilizada desde a época pré-histórica. É utilizada pela medicina tradicional para o tratamento de diversas patologias, como diarreia, indigestão, doenças neurodegenerativas e cicatrização de ferimentos. Além disso, estudos mostram que ela também possui ação antimicrobiana. A C. asiatica produz metabólitos secundários envolvidos em sua atividade antioxidante, a qual parece ser responsável por seus efeitos terapêuticos. Nesse contexto, o presente estudo objetivou caracterizar a atividade antioxidante e antibiótica de extratos de folhas, de caules e de raízes da planta C. asiatica cultivada em solo e em aquaponia. A atividade antioxidante foi determinada por meio do método de captura do radical ABTS e mostrou que o extrato de folhas da Centella produzida em aquaponia apresentou o maior nível de atividade antioxidante, enquanto os extratos de raízes das plantas produzidas em aquaponia obteve o menor nível dentre todos os extratos analisados. Já o teor de compostos fenólicos foi determinado por meio do método Folin-Ciocalteu e evidenciou que o extrato de folhas das amostras cultivadas em aquaponia apresentaram a maior concentração de compostos fenólicos, sendo que o extratos de raízes das plantas produzidas em aquaponia apresentou a menor concentração. Evidenciou-se, assim, uma associação entre o teor de compostos fenólicos totais e a atividade antioxidante. A análise da atividade antibiótica por meio do método disco-difusão não pode ser realizada em virtude da resistência bacteriana detectada, por meio dos testes preliminares, nas amostras das cepas de bactérias disponíveis no laboratório

Palavras-chave


Centella. Antioxidante. Fenólicos.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/pic.n1.2018.6407

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia