O papel de bactérias queratinolíticas na expressão de características estruturais da plumagem do Tiziu (Volatinia jacarina)

Melina Gomes Borges, Raphael Igor Dias

Resumo


A comunicação entre os animais é bastante variável, havendo inúmeros mecanismos, como sinalizações sonoras, visuais, mecânicas e químicas. Nas aves, displays, cantos e combinações de cores são as formas mais comuns. A coloração pode ser produzida por meio de pigmentos ou através da organização estrutural de queratinas e melaninas nas penas, estando propenso à deterioração devido à abrasão ou danos induzidos por organismos degradantes, e esta é uma característica normalmente avaliada durante a seleção de parceiros e usualmente determina as chances reprodutivas, por sinalizar qualidade individual. Porém, os processos que regulam a produção de colorações estruturais ainda são pouco conhecidos. A Estação Ecológica de Águas Emendadas (ESECAE) está localizada na região administrativa de Planaltina, 46km da região central de Brasília, e está inserida no bioma Cerrado. O tiziu (Volatinia jacarina) é uma espécie migratória, dicromática, granívora, cujos machos apresentam uma plumagem nupcial preto-azulada iridescente durante seu período reprodutivo. Nesse contexto, os objetivos do estudo foram: analisar possíveis diferenças na abundância de bactérias queratinolíticas presentes nas penas de machos e fêmeas de tiziu e investigar como a abundância dessas bactérias influencia a coloração. Após capturados com rede de neblina, foram coletadas, com swab, amostras bacterianas da cabeça e dorso dos indivíduos. As amostras foram armazenadas em PBS e inoculadas nos meios TSA e FMA para crescimento e posteriormente quantificação de UFCs. Adicionalmente, foram coletadas penas de contorno da cabeça e dorso para análise de coloração em espectrofotometria de luz. As variáveis colorimétricas (brilho, saturação total, saturação UV e matiz) foram reduzidas a partir de PCAs e os escores utilizados nas análises. Apesar das elevadas quantidade de UFCs em ambos os meios e da variedade, não houve efeito significativo no que diz respeito às relações entre bactérias e coloração, para o meio TSA, assim como, para o meio FMA, tanto para os machos quanto para as fêmeas. Assim como, não houve nas variáveis colorimétricas. Com relação a abundância de bactérias, foram encontradas diferenças morfológicas de vários tipos além de detectar a maior presença de bactérias gram-positivas. A diferença no número de bactérias queratinolíticas pode estar relacionada à organização estrutural de melaninas e queratinas das penas, ou ainda, a composição da microbiota pode ser mais importante do que a abundância total no processo de degradação estrutural das penas

Palavras-chave


Coloração. Degradação de queratina. Seleção sexual.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/pic.n1.2018.6390

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia