O impacto na diminuição do tempo de ventilação mecânica após a implantação de um protocolo de extubação programada (check list) em recém nascidos em uma unidade de terapia intensiva neonatal

Luiz Matheus Xavier Cocentino, Natália Ramires Kairala, Andréa Lopes Ramires Kairala

Resumo


INTRODUÇÃO: A ventilação mecânica invasiva (VMI) é um procedimento de fundamental importância em unidades de Terapia Intensiva, com maior destaque nas Unidades de Terapia Intensiva Neonatal (UTIN). A ventilação mecânica (VM) é um procedimento necessário para a sobrevivência, mas não é isento de riscos, causando lesões ao pulmão doente ou imaturo. A forma de executar o processo de desmame é um dos momentos cruciais no uso da ventilação pulmonar mecânica que pode influenciar diretamente no seu sucesso ou insucesso. OBJETIVO: avaliar a efetividade da implantação de um protocolo de extubação programada (checklist), na diminuição do tempo de ventilação mecânica em recém-nascidos (RN) da Unidade de Terapia Intensiva Neonatal de um hospital escola privado do Distrito Federal (DF). METODOLOGIA: Análise quantitativa, descritiva e retrospectiva de prontuário, com levantamento de dados dos RN internados na UTIN de um hospital privado do DF no período de janeiro de 2013 a dezembro de 2017, durante o qual foram submetidos à VM e ao procedimento de extubação. RESULTADOS: O número de pacientes internados na UTIN no período do estudo (entre 2013 e 2017) foi 1569. O número de RN internados na UTIN logo após o nascimento e que necessitaram de VM foi 370. A amostra após seleção dos pacientes de acordo com os critérios de inclusão e exclusão foi N=124 RN. O número de pacientes internados por ano de nascimento foi 2013: 22 (17,7%) pacientes, 2014: 24 (19,3%), 2015: 21(16,9%), 2016: 25 (20,1%) e 2017: 32 (25,8%). Foi observado uma taxa de falha de extubação de 42,86 % antes da implantação do protocolo, contra 35,71 % após sua consolidação. CONCLUSÃO: O processo de retirada da VM, na grande maioria dos serviços de terapia intensiva neonatal, ainda está sujeito a condutas pouco embasadas cientificamente. Sob o ponto de vista profissional, criar mecanismos facilitadores na UTI pode abreviar o tempo de VM; visto que os profissionais devem se sentir mais seguros ao identificar o paciente capaz de se submeter ao teste de respiração espontânea (TRE) diminuindo, assim, o grau de insucesso das extubações, garantindo melhor evolução do paciente

Palavras-chave


Ventilação Mecânica. Extubação. Neonatologia.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/pic.n1.2018.6388

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia