Expressão da glicoproteína do vírus Chikungunya em células de insetos visando desenvolvimento de insumo para diagnóstico e/ou vacina

Mariana Batista Caixeta Ferreira, Anabele Azevedo Lima

Resumo


INTRODUÇÃO Os mosquitos Aedes são vetores importantes para doenças emergentes causadas por arbovírus, como o Chikungunya. As principais espécies transmissoras desses vírus são Ae. aegypti e Ae. albopictus, que estão presentes em áreas climáticas tropicais e temperadas. O vírus Chikungunya é um patógeno artritogênico transmitido por mosquito, classificado como um Alfavírus da família Togaviridae, que possui um envelope e RNA de cadeia simples como ácidos nucléicos. De acordo com o Ministério da Saúde, a saúde pública no Brasil tem relatado um aumento na incidência de doenças tropicais “negligenciadas” emergentes e reemergentes causadas por arbovírus, como o vírus Chikungunya. Agências responsáveis no Brasil vêm demonstrando grande preocupação com todos os dados epidemiológicos recentes associados a esse vírus, uma vez que não há tratamento específico disponível ou vacina para seus programas públicos de imunização. Dessa forma, este projeto teve como objetivo expressar proteínas do vírus CHIKV em um sistema de expressão de proteínas heterólogas, utilizando o baculovírus, com intuito de obter antígenos específicos para testes imunológicos. METODOLOGIA: Após a síntese de oligonucleotídeos específicos para a região de interesse do vírus Chikungunya, analisamos a expressão dos epítopos específicos de proteínas do vírus, que foram fundidos à proteína poliedrina do baculovírus. Esse sistema de expressão de proteínas recombinante em células de inseto é um modelo de expressão bem estabelecido na literatura. Em seguida, foi construído um baculovírus recombinante contendo os epítopos do vírus Chikungunya, a confirmação se deu por sequenciamento e por fim, analisamos a expressão da proteína de interesse por western blot, assim como, realizamos testes preliminares para verificar possível reação cruzada entre outros arbovírus. RESULTADOS: O vírus recombinante construído foi utilizado para infectar células de inseto para a expressão da proteína recombinante. Este vírus recombinante possui os genes E2 e NSP3, que foi usado para infectar células de insetos (Tn5B) usando a estratégia bac-to-bac. A proteína expressa por este vírus recombinante foi então analisada por SDSPAGE e detectada por western blot, que confirmou a sua expressão, apresentando o tamanho esperado da proteína recombinante de 37 kDa. Um único ensaio de ELISA apontou que não houve reação cruzada com outros arbovírus, sendo necessário mais repetições de ensaios imunoenzimático. DISCUSSÃO/CONCLUSÃO: Sabe-se que as regiões do gene E2 e NSP3 do Chikungunya já foram expressas em estudos anteriores, no entanto, nenhuma delas utilizou as mesmas regiões antigênicas utilizadas como repetições descritas neste trabalho, as quais apresentaram uma significativa expressão em células de inseto e demonstrou ser reconhecido por antissoro contra as propriedades imunogênicas do vírus Chikungunya. Os resultados apontaram que a estratégia é promissora, utilizando regiões imunogênicas específicas do vírus Chikungunya, que poderiam ser utilizadas para produzir um kit de diagnóstico, bem como, para outras aplicações biotecnológicas, como auxiliar na
produção de uma potencial vacina subunitária


Palavras-chave


Chikungunya. baculovírus recombinante. expressão de proteínas heterólogas.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/pic.n1.2018.6377

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia