Teorias do patrimônio cultural e suas transformações: da preservação dos bens materiais à paisagem cultural

Ana Luísa De Lima Magarelli, Luis Felipe Miranda Diniz, Sávio Tadeu Guimarães

Resumo


O foco desta pesquisa consiste no estudo do conceito de paisagem cultural e preocupações anteriores relacionadas ao conceito de patrimônio cultural, levantando discussões embasadas nas teorias de conservação dentro do contexto internacional e nacional. Anterior à difusão do conceito de paisagem cultural pela UNESCO, em 1992, diversos teóricos, sobretudo europeus, propuseram noções sobre o entendimento e ação sobre este amplo campo. As teorias abordadas nesta pesquisa atestam a evolução de tais ideias, difundidas do século XIX à contemporaneidade. Em meio a distintas definições e maneiras de compreensão, como a de Georg Simmel, chega-se, na atualidade, ao reconhecimento e valorização da interação de várias dimensões componentes de um bem, com a natural e a cultural, tendo em vista o processo de interação do homem com o meio natural. A pesquisa se deu a partir de um estudo bibliográfico que se inicia buscando o conceitos de termos como cultura, sociedade, natureza e patrimônio e suas correlações, além de um intenso aprofundamento nas teorias patrimoniais que surgiram ao longo dos séculos, abrangendo, desde os chamados teóricos do restauro, que dominaram os pensamentos sobre o campo até meados do século XX a códigos de postura e diretrizes como as cartas patrimoniais, além de normas criadas na busca de garantir a integridade do patrimônio, atentando-se para os campos cultural e natural, sob conhecimentos produzidos pela Arquitetura e Urbanismo, pelas Ciências Sociais, Geografia, entre outras áreas


Palavras-chave


Patrimônio cultural. Teoria do restauro. Cartas patrimoniais.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/pic.n1.2018.6366

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia