Inteligência emocional: um estudo comparativo entre lideranças universitárias e lideranças empresariais

Abner Santos Belém, Raphael Matos

Resumo


A relação entre o mercado de trabalho e a universidade é cenário de grandes discussões na atualidade. Discentes buscam, cada vez mais, aprimorar sua experiência acadêmica, desenvolvendo e aprimorando conhecimentos que se tornaram futuras habilidades no ambiente organizacional, com a intenção de facilitar seu acesso ao mercado de trabalho. Para isso, atributos como, inteligência emocional e liderança, são essenciais para a formação do aluno universitário, visto que, tratam-se de competências que começam na academia e transferem seus reflexos para o mundo empresarial. Com o propósito de entender estas possíveis relações entre formas de liderança e inteligência emocional nas universidades e dentro das empresas, este artigo possui o foco em responder a seguinte questão: “Qual a relação existente entre a inteligência emocional desenvolvida na academia e a inteligência emocional praticada pelos líderes nas empresas privadas da associação comercial de Ceilândia?”. Por conseguinte, para alcançar a solução do questionamento desta pesquisa, tornou-se necessário a produção de três objetivos específicos, sendo estes: “Identificar habilidades de inteligência emocional em grupos de universitários”; “Observar lideranças do setor de produtos e serviços da associação comercial de Ceilândia” e “Comparar as competências de lideranças universitárias e de gestores atuantes no mercado por meio da inteligência emocional.” Na consecução dos objetivos propostos e, posteriormente, a obtenção da resposta para o problema de pesquisa, utilizou-se de uma metodologia de caráter qualitativa e descritiva, onde foram utilizadas entrevistas individuais com gestores de três empresas integrantes da associação comercial de Ceilândia e, criou-se um grupo focal com seis alunos universitários, graduandos em administração de empresas, de três instituições de ensino superior do DF (UnB, UCB e UniCEUB), com a intenção de criar um discurso coletivo e relacioná-lo com as falas individuais dos gestores. Após a análise dos discursos obtidos, desenvolveram-se quadros de relações entre as opiniões dos gestores e dos universitários com relação ao tema e, constatou-se, a existência de uma relação de grande semelhança entre a inteligência emocional desenvolvida na academia e a inteligência emocional praticada pelos líderes nas empresas privadas da associação comercial de Ceilândia, portanto, atingindo os objetivos do artigo e respondendo o problema de pesquisa


Palavras-chave


Inteligência Emocional. Liderança. Gestores. Universitários.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/pic.n1.2018.6354

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia