Ajustamento do indivíduo no contexto de trabalho: proposta de desenvolvimento de uma medida para avaliação de fit

Paula Soares Lira Chagas, Miriam Saraiva Farias, Fabiana Queiroga

Resumo


As pesquisas sobre o indivíduo e o seu contexto de trabalho não são recentes e, no Brasil, desde a década de 1970 observa-se um aumento de estudos científicos no intuito de analisar e compreender os fatores que influenciam o comportamento das pessoas no seu ambiente de trabalho. Nessa busca, a recente revisão de Vienen (2018) aponta a enorme contribuição dos estudos sobre FIT (ajustamento) na ampliação dessa análise. O tema abordado nessa pesquisa, o ajustamento do indivíduo ao seu ambiente de trabalho – FIT, é de grande relevância, uma vez que praticamente não há estudos nacionais sobre o assunto. Diante da importância do tema e da escassez de instrumentos nacionais, este estudo teve como objetivo geral apresentar evidências de validade de um instrumento para avaliar os ajustes (FIT) do indivíduo ao seu contexto de trabalho. Essa pesquisa teve caráter exploratório e utilizou-se de delineamento misto com métodos qualitativos e quantitativos. Após uma revisão de literatura nacional e internacional sobre o tema, foram elaborados os itens do instrumento, que foram submetidos à validação semântica dos juízes, no intuito de assegurar clareza na compreensão dos itens pela população-alvo. Nesta última etapa metodológica houve a estimação dos indicadores psicométricos do instrumento desenvolvido. O instrumento final validado, possui 9 itens divididos em duas dimensões, uma em relação a habilidades individuais e outra englobando aspectos organizacionais. Responderam ao questionário 75 indivíduos, com a média de idade de 31 anos (DP = 11,4 anos). Cerca de 76 % dos participantes são do sexo feminino e 24% do sexo masculino. Entre os respondentes, 50% possuem graduação incompleta, já 22,7% são formados. Os dados foram analisados por meio
do pacote estatístico SPSS (Statistic Package for Social Science), versão 24.0. A verificação da estrutura empírica do instrumento de avaliação foi realizada por meio de uma análise fatorial exploratória. A análise dos dados foi feita através de duas perspectivas, ou seja, levando em conta um fator (fatorial) ou dois fatores (bifatorial). Essa escolha foi feita levando em consideração que na análise fatorial foi verificada a possibilidade de agrupamento dos itens por meio dos índices de KMO (0,82) e do determinante que foi aproximadamente 0 (zero), esses fatores nos mostram a adequação da escala. Baseado nos resultados encontrados, é possível concluir que os resultados alcançados por meio da análise fatorial exploratória indicaram evidências de validade do instrumento, podendo este ser trabalhado em uma estrutura unifatorial ou bifatorial . Além de apresentarem consistência interna estatisticamente satisfatória (os alfas de Cronbach dos fatores são acima de 0,80), os fatores são nítidos, de fácil interpretação e são condizentes com o que foi previsto teoricamente


Palavras-chave


Psicologia Organizacional; Fit; Evidências de validade

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/pic.n1.2018.6318

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia