A perspectiva de cooperação internacional russa: imperialismo sob os moldes da União Soviética e da federação russa

Fernanda Lopes de Oliveira, João Paulo Santos Araújo

Resumo


Em meio à crise da ordem internacional liberal, liderada pelos Estados Unidos e seus
aliados desde o fim da Guerra Fria, a efetividade das instituições multilaterais vêm sido
questionadas numa multipolaridade dotada de realidades altamente divergentes. Tal
ordem enraizada na perspectiva ocidental fez com que países emergissem pedindo
mudanças, de maneira que as instituições e regras satisfaçam a universalidade, dentre
eles a Rússia. Como um ator predominante e influente nas relações internacionais se faz
necessário compreender o comportamento russo nas relações internacionais de forma
sistematizada e integrada com a geopolítica, história e filosofia, sobretudo de como a
Rússia coopera com outros países. Nisso, a presente pesquisa pretende, ao compreender
os padrões de cooperação internacional russos, demonstrar que existe continuidade na
noção de poder e imperialismo no comportamento russo especialmente entre seus dois
momentos de mudança doutrinária político-filosófica mais marcantes: União Soviética
(1917-1991) e Federação Russa (1991-2018). A partir da comparação histórica e da
dialética, e sob o prisma da teoria do realismo clássico das Relações Internacionais,
depreende-se que visão russa é caracterizada em termos gerais como ortodoxa,
nacionalista e centralizadora, mesmo que houveram períodos de rupturas significativas
em sua história


Palavras-chave


União Soviética. Federação Russa. Cooperação Internacional.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/pic.n1.2018.6313

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia