A literatura como possibilidade de compreensão de processos subjetivos: uma análise do livro o conto da Aia

Lucas Parca Guaritá, Valéria Deusdará Mori

Resumo


O presente trabalho trata de uma análise construtivo-interpretativa proposta por González Rey (2011, 2015, 2017) do livro “O Conto da Aia” da autora Margaret Atwood escrito originalmente em 1985, que traz uma distopia futurista, na qual se é exposto diversas questões sobre as condições femininas, de uma sociedade religiosa, patriarcal, machista, e conservadora. Tal análise teve por objetivo compreender diferentes processos subjetivos que se expressam em uma obra literária. Busco entender portanto a arte como expressão do mundo em que vivemos, e a forma como a subjetivamos perpassa a cultura e a sociedade, bem como a história de vida de cada indivíduo. Tendo como base o livro “O Conto da Aia” pode-se discutir diferentes questões, tais como: machismo, relações de poder, meio ambiente e violência. Buscou-se entender como essas questões são subjetivadas pela indivíduo-sociedade


Palavras-chave


Subjetividade. Contemporaneidade. Literatura.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/pic.n1.2018.6311

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia