PADRÃO DE CICLIDADE OVARIANA DE OVELHAS SANTA INÊS E BERGAMÁCIAS CRIADAS NO DISTRITO FEDERAL

Gabriel Rodrigues da Costa, Andrei Antonioni Guedes Fidelis

Resumo


Faz-se necessário o conhecimento da ciclicidade das ovelhas para que se possa implementar um manejo reprodutivo adequado e impulsionar a cadeia de produção. Em geral, os ovinos apresentam atividade reprodutiva nas estações do ano em que o fotoperíodo é negativo. Tendo em vista que são poucos os estudos relacionados às tendências sazonais de ovelhas criadas no planalto central, este trabalho objetivou caracterizar a ciclicidade reprodutiva de ovelhas Santa Inês e Bergamácia criadas nessa região. Dez ovelhas de cada raça foram submetidas a ultrassonografia transretal para detectar a presença de corpo lúteo (CL) a cada 12 dias entre os meses de setembro de 2017 e maio de 2018. Quando confirmada sua presença no ovário, o diâmetro do CL foi mensurado e o volume obtido pela fórmula de volume de esfera. Foram consideradas com ciclo estral regular as ovelhas que não apresentaram ausência de CL em duas avaliações consecutivas e consideradas com ciclo estral irregular as ovelhas que apresentaram ausência de CL em duas ou mais avaliações de forma intermitente. Durante todo o período experimental, não foi observado anestro e 50% das ovelhas Santa Inês e 30% das ovelhas Bergamácia manifestaram estro de forma regular. Todas as ovelhas Santa Inês (100%) expressaram um ciclo estral regular na primavera. Entretanto, apenas 50% das ovelhas da raça Bergamácia demonstraram esse padrão. Na estação do verão, ambas as raças expressaram um ciclo estral regular em 50% dos animais e os outros 50% expressaram ciclo estral irregular. No outono, 100% das ovelhas Santa Inês e Bergamácia demonstraram estro de forma regular. O volume do maior corpo lúteo foi semelhante entre as raças e as estações do ano (Anova; Duncan; P>0,05). A raça Santa Inês teve uma média de 441,40±121,11 mm3 na primavera; 439,67±85,34mm³ no verão e 506,6±101,20 mm³ no outono enquanto que nas ovelhas da raça Bergamácia o volume foi de 424,73±102,31 mm³, 49,68± 137,4mm³ e 465,58±141,12 mm³.nas três estações respectivamente. Diante disso, as ovelhas de ambas as raças apresentam atividade reprodutiva durante as épocas de estação e contra estação reprodutiva, porém uma parcela desses animais apresentou ciclo estral irregular nas épocas consideradas como contra estação (primavera e verão). Além disso, ovelhas Bergamácia parecem sofrer os efeitos do fotoperíodo de forma antecipada (primavera e verão) quando comparadas as ovelhas Santa Inês (somente verão). O fotoperíodo no planalto central não afetou o desenvolvimento do CL


Palavras-chave


Corpo Lúteo.Ciclo Estral.Sazonalidade

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/pic.n3.2017.5862

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia