INFLUÊNCIA DE POLIMORFISMOS GENÉTICOS NA EXPRESSÃO DE ENOS, APOE E ECA EM RESPOSTA AO TREINAMENTO DE FORÇA EXCÊNTRICO EM IDOSAS OBESAS.

Mateus Medeiros Leite, Alessandro de Oliveira Silva, Silvana Schwerz Funghetto

Resumo


O aumento da expectativa de vida nos últimos anos associa-se a prevalência da obesidade e
outras doenças crônicas não transmissíveis, decorrentes de processos multifatoriais com
influência da genética e estilo de vida adotado. O objetivo do presente estudo foi investigar
como os genótipos identificados nos polimorfismos de eNOS, APOE e ECA podem influenciar
na resposta de CK após TFE. Participaram 86 mulheres idosas obesas (69,24 ± 4,94 anos). Para caracterização foi avaliada a composição corporal com DEXA, Colesterol total, HDL, LDL, VLDL e Triglicérides. As idosas completaram um protocolo de TFE com 110 % de 10 RM apenas na fase excêntrica. Foi avaliada a resposta de CK nos momentos pré-exercício, pós0, pós3hrs e
pós24hrs. As voluntárias foram dividas conforme polimorfismo genético de eNOS, APOE e
ECA. Para comparação das características dos grupos por genótipos foi utilizado teste t para
amostras independentes quando verificada normalidade e teste U de Mann-Whitney quando
em anormalidade. ANOVA fatorial de delineamento misto 2x4 (genótipo x momento) foi
empregada para avaliar a resposta de CK nos genótipos de cada polimorfismo nos quatro
momentos através do programa SPSS 25.0 adotando como significância p ≤ 0,05. Para os
genótipos GG e TG/TT de eNOs, e3/e3 e e3/e4-e2/e3 de APOE não foram observadas
diferenças significativas paras as variáveis de caracterização (p >0,05), já as voluntárias com
genótipo DI/II da ECA apresentaram maior idade em relação ao genótipo DD (p = 0,034). O
TFE utilizado induziu a um aumento de CK para o genótipo TG/TT de eNOS no momento Pós
24 horas em relação a Pós0 e Pós3hrs (p = 0,006), de 90,85 ± 36,65 U/l e 91,75 ± 35,58 U/l
respectivamente para 107,74 ± 42,35 U/l Pós24hrs. O genótipo e3/e3 de APOE demonstrou
um aumento significativo de 90,81 ± 35,08 U/l Pós0, 89,58 ± 35,00 U/l Pós3hrs para 105,22 ±
43,70 U/l no momento Pós24hrs (p = 0,013; p = 0,002) respectivamente. CK para o genótipo
DI/II de ECA aumentou significativamente de 87,88 ± 33,01 U/l Pré, 88,26 ±3 8,18Ul Pós0 e
88,64 ± 35,99 Pós3hrs em relação ao momento Pós24hrs 104,76 ± 46,27 U/l (p = 0,042; p =
0,011; p = 0,008) respectivamente. O protocolo de TFE parece induzir um aumento de CK a
partir de 24 horas após o exercício para os genótipos TG/TT de eNOS, e3/e3 de APOE e DI/II
de ECA, sem diferença significativa entre os genótipos dos respectivos polimorfismos


Palavras-chave


Envelhecimento. Obesidade. Treinamento de força. Polimorfismos genéticos.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/pic.n3.2017.5852

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia