EFETIVIDADE DE UM PROGRAMA DE EXERCÍCIOS E TREINAMENTO NEUROMUSCULAR PARA PACIENTES COM A SÍNDROME DA DOR PATELOFEMORAL

Marcos Vinicius da Silva Boitrago, Thaiane Araújo Lima, Marcio de Paula e Oliveira

Resumo


A Síndrome da Dor Patelofemoral (SDPF) é uma das lesões mais comuns
observadas na prática ortopédica, correspondendo a 25% a 40% das afecções que
acometem a articulação do joelho e afetando cerca de 26% da população em geral.
Embora estejam presentes em uma ampla gama de indivíduos, a patologia é
prevalente em pessoas mais jovens e ativas, principalmente em mulheres, que são
afetadas cerca de duas vezes mais que os homens. A etiologia para desenvolvimento
da SDPF é multifatorial e está relacionada com alterações biomecânicas, excesso de
atividade física, fraqueza dos músculos do joelho (quadríceps femoral), quadril (glúteo
médio e máximo), patela alta e pé pronado. Diante do exposto, o objetivo do presente
trabalho foi verificar os resultados da aplicação de um programa de exercícios
resistidos e sensório motores para o tratamento de pacientes com diagnóstico de
SDPF. Foi realizado um ensaio clínico com 20 pacientes do gênero feminino,
fisicamente ativas, com a média de idade 25,8 (±7,4) anos, peso 61,1(±9,7) kg,
estatura 163 (±5,5) cm, clinicamente diagnosticadas com SDPF. A pesquisa foi
desenvolvida no Hospital Ortopédico de Medicina Especializada - HOME, Centro
Universitário de Brasília - UniCEUB e Instituto Trata Joelho e Quadril / DF. As
pacientes foram submetidas a 6 semanas de um programa de exercícios resistidos e
sensório motores para os músculos do tronco, abdutores e rotadores laterais de
quadril e extensores de joelho. As sessões foram realizadas três vezes semana (n=18)
e tinham por objetivo a melhora da força muscular, resposta neuromotora,
coordenação e equilíbrio. Anteriormente e após o período de aplicação do programa,
todas as participantes foram avaliadas em relação ao membro lesionado para o nível de dor (EVA), funcionalidade subjetiva (Escalas de Atividade de Vida Diária (EAVD) e Atividade Esportiva (EAE), força isométrica máxima dos músculos extensores de joelho, abdutores e rotadores laterais de quadril (dinamometria manual digital) e análise biomecânica 2D, mensurando o valgo dinâmico e a queda da pelve. Os resultados encontrados foram estatisticamente significativos para todas as variáveis (p<0,0005). As queixas iniciais de dor diminuíram de 7 para 1 (p<0,0001); a classificação funcional para as atividades de vida diária aumentou de 55 para 90 (p<0,0001) e atividades esportivas de 50 para 82,5 (p<0,0001); a força muscular aumentou de 25,6 para 35,0 (p<0,0001) nos extensores de joelho, 19,1 para 24,8 (p<0,0001) nos abdutores de quadril e 9,3 para 11,2 e rotadores laterais (p<0,0001). A análise biomecânica demonstrou uma diminuição de 7,5° para 4,0° no valgo dinâmico (p<0,0001) e de 4,0° para 2,5° na queda pélvica (p<0,0001). Os resultados encontrados nos permitiram concluir que o programa de tratamento proposto promoveu a melhora da dor e funcionalidade dos pacientes, por meio do aumento da força muscular e melhora no padrão de movimento da cintura pélvica e membros inferiores


Palavras-chave


Síndrome da dor Patelofemoral. Articulação do Joelho. Músculo esquelético.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/pic.n3.2017.5841

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia