DOSAGEM SERIADA DE PROTEINA C-REATIVA , LACTATO E PROCALCITONINA COMO INDICADORES PRECOCES DE SEPSE EM PACIENTES GRANDES QUEIMADOS

Elisa Barroso Frattini Ramos, Leticia Rocha Santos Maciel, Antoinette Oliveira Blackman

Resumo


A queimadura é um trauma decorrente de agentes térmicos, químicos, elétricos ou radioativos, que leva à perda da barreira mecânica da pele, responsável pelo alto índice de infecção e óbitos após 48 horas do agravo e por alteração das respostas orgânicas, com elevação de marcadores inflamatórios e de infecção. A lesão tecidual gera uma resposta imunológica com vasodilatação local, recrutamento e ativação de macrófagos, linfócitos, mastócitos e neutrófilos, responsáveis por liberar citocinas inflamatórias, principalmente TNF-alfa, IL-1 e IL-6, que ativam a produção de Proteína C Reativa (PCR). A inflamação leva a hipoperfusão tecidual com formação de lactato. Lipopolissacarídeos secretados por bactérias e citocinas relacionadas a sepse estimulam células do sistema mononuclear do sangue periférico e do fígado a secretarem procalcitonina. Após o trauma por queimadura, os níveis plasmáticos de proteína C reativa, lactato e procalcitonina, marcadores de processos inflamatórios, aumentam, podendo ser usados na identificação precoce de sepse e suas complicações, visando o início rápido e adequado de tratamento e com isso, diminuição da morbimortalidade, tempo de internação e custos hospitalares. O objetivo do trabalho foi avaliar o comportamento da proteína C reativa, lactato e procalcitonina, em uma curva de avaliação diária para diagnóstico precoce de sepse em pacientes grandes queimados na Unidade de Queimados do Hospital Regional da Asa Norte. O delineamento da pesquisa foi uma coorte prospectiva durante o período de março a junho de 2018, e consistiu na coleta de sangue com dosagem seriada de PCR e lactato, durante os primeiros 7 dias de internação e o 15˚; e de procalcitonina no 1˚, 4˚, 7˚ e 15˚ dias. Foram avaliados dois pacientes, que se queimaram no mesmo evento e foram atendidos e admitidos na Unidade de Queimados no dia do agravo, submetidos aos procedimentos: desbridamento, banhos/curativos e hemotransfusão. Na análise dos estudos, observou-se que a dosagem de PCR alterou-se com todos os procedimentos realizados corroborando com o diagnóstico precoce de sepse, no entanto as dosagens de lactato e procalcitonina não auxiliaram na identificação. A dosagem da PCR é importante marcador de inflamação. A pesquisa deve continuar para se ter uma melhor expressão estatística dos dados.Limitações do estudo: Foi evidenciado desvio do padrão no número de internações na Unidade de Queimados durante o período de março a junho de 2018 em comparação ao mesmo período do ano anterior, de 10 para 2 pacientes


Palavras-chave


Queimadura. Sepse. PCR. Lactato. Procalcitonina.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/pic.n3.2017.5838

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia