RELAÇÕES INTERNACIONAIS E FEMINISMO: A ATUAÇÃO DE BERTHA LUTZ E AS REDES TRANSNACIONAIS DE PROMOÇÃO À IGUALDADE DE GÊNERO

Izabel Cristina de Sena Sales Afonso, Aline Sapiezinskas

Resumo


O presente trabalho pretende analisar a atuação feminina na política
internacional multilateral, mais especificamente identificar a importância de
Bertha Lutz como uma das primeiras mulheres brasileiras atuantes nas Nações
Unidas, bem como demonstrar a inserção do feminismo no Brasil e que o
movimento feminista pode ser considerado como uma rede transnacional e como
uma comunidade epistêmica, que existe desde o século XIX. A metodologia
empregada foi pesquisa bibliográfica, consultando os principais autores de
referência no campo da diplomacia, da política internacional e em um sentido
mais amplo, do campo de pesquisa das relações internacionais. Os resultados
encontrados no presente estudo demonstram que a importância do papel da
mulher dentro do contexto histórico brasileiro independe da “classe social” a
qual pertence. Quanto a perspectiva feminina nas Relações Internacionais o
feminismo desafia as inúmeras certezas disciplinares das Relações
Internacionais, em especial no que tange às questões de segurança, política e
poder. Os resultados encontrados revelam a parca pois a atuação da mulher na
política internacional


Palavras-chave


Bertha Lutz, Redes Transnacionais, Política e Feminismo, Questões de Gênero, Relações Internacionais.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/pic.n3.2017.5819

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia