PORNOGRAFIA E QUESTÕES DE GÊNERO: UM OLHAR CRÍTICO DO PODER PEDAGÓGICO DAS IMAGENS NA CONSTRUÇÃO DAS SUBJETIVIDADES

Amanda Duarte Vaz Pinto, Ana Flávia do Amaral Madureira

Resumo


Nesta pesquisa são abordadas questões relativas ao impacto pedagógico que a exposição de conteúdos pornográficos mainstream podem ter no processo de construção da subjetividade de seus expectadores, sobretudo no campo da sexualidade. A pesquisa teve como objetivo geral explorar de que maneira os filmes e vídeos pornográficos, enquanto veículos midiáticos, podem reproduzir práticas machistas ancoradas nas noções do patriarcado heteronormativo, a partir da perspectiva dos/as participantes. A pesquisa procurou compreender de que maneira a pornografia pode servir como fonte de informação para os/as participantes sobre quais papeis homens e mulheres podem desempenhar durante o ato sexual e de como as práticas sexuais encenadas nos vídeos e/ou filmes assistidos podem, ou não, influenciar as relações interpessoais dos/das participantes. Com a revolução digital e a popularização da internet, o acesso a conteúdos pornográficos tornou-se muito mais ordinário, estando presente no cotidiano de muitas pessoas. A importância de se pensar sobre a relação entre pornografia, questões de gênero e violência se dá na medida em que a sexualidade e suas manifestações são ainda assuntos delicados e, frequentemente, ficam fora do escopo de discussões acadêmicas. Para a realização da pesquisa foi utilizada uma metodologia qualitativa de investigação, que envolveu a realização de entrevistas individuais semiestruturadas, de forma integrada à apresentação de imagens previamente selecionadas. Participaram da pesquisa quatro pessoas, sendo dois homens e duas mulheres, na faixa etária entre 18 e 40 anos, que já tenham tido, ao menos uma vez, contato com material pornográfico. Como procedimento de análise, foi utilizada a Análise de Conteúdo Temática. Após a transcrição das entrevistas, foram construídas quatro categorias analíticas temáticas para nortear o trabalho interpretativo. A pesquisa indicou que a pornografia mainstream de fato tem um poder de influência significativo no processo de construção da subjetividade de seus expectadores, especialmente nas questões de gênero e nas performances sexuais. Além disso, o impacto negativo que tal mídia tem para o gênero feminino foi bastante ressaltado pelos/as participantes. Portanto, um aprofundamento teórico e empírico sobre a temática em foco pode contribuir para que o combate às práticas misóginas e heteronormativas, tão presentes no cotidiano, se converta em ações no dia a dia, atuando como ferramenta na construção de uma sociedade mais justa e igualitária


Palavras-chave


Pornografia. Questões de gênero. Imagens. Cultura. Subjetividade.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/pic.n3.2017.5816

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia