MOBSBJR: UM JOGO INFANTO-JUVENIL PARA EXPLICAR A MOBILIDADE URBANA EM BRASÍLIA

João Alexandre Ottoni de Carvalho, Gabriel Lima Jacinto, Ana Paula Borba Gonçalves Barros

Resumo


A partir dos problemas de trânsito enfrentados diariamente em cidades
brasileiras, inclusive em Brasília, verifica-se a necessidade urgente de uma
mudança de paradigma. E sabe-se que tais mudanças apresentam maior
probabilidade de eficácia quando iniciadas antes da fase adulta. A partir disto,
eis que surgiu a ideia da criação de um jogo de tabuleiro para explicar a
mobilidade da cidade para o público infanto-juvenil, de modo a torná-los mais
críticos no que tange a relação entre os meios de transporte e os aspectos
socioeconômicos dos seus residentes. Sob este viés, a pesquisa visou verificar
de que modo os jovens assimilam as informações lúdicas, contidas nos jogos, e
as reproduzem. Para tanto, escolheu-se uma instituição de ensino médio
parceira (Colégio Sërios) da instituição de ensino superior (UniCEUB) na qual
esta pesquisa está vinculada. As etapas metodológicas que amparou o estudo
qualitativo, foram as seguintes: na primeira etapa (Grupo Focal), o moderador
guiou um grupo de 6 alunos da instituição parceira a construírem um debate
coletivo por cerca de 1 hora, com o objetivo de estudar e entender as visões dos
participantes; na segunda, ao invés de se preparar desenhos dos elementos
físicos presente na cidade (como proposto inicialmente), preferiu-se apenas
escolher os elementos mais significativos na cidade de Brasília para os
participantes, uma vez que houve atraso na liberação da pesquisa por parte do
Comitê de Ética, haja vista trabalhar-se com menores; na terceira (Criação das
regras do Jogo) e quarta etapas (Preparação do tabuleiro e das peças), verificouse
que os jovens foram bastante cooperativos e flexíveis na elaboração das
regras e na exposição de suas ideias; e, na quinta, a primeira partida jogada
entre os seus criadores, observou-se a necessidade de alguns ajustes em
relação às regras criadas. Portanto, ao longo das etapas, verificou-se um alto
nível de visão crítica no que se refere as questões de mobilidade urbana por
parte dos participantes, tornando mais simples a comunicação e o entendimento
dos assuntos abordados. Houve certa insatisfação com a forma que ocorre o
trânsito, pois segundo os participantes, em muitos casos não há consciência na
escolha do meio de transporte por parte dos usuários da cidade, o que fomentou
o enfoque em estratégias de transmitir uma visão crítica através do jogo. Concluise,
portanto, que as estratégias lúdicas contidas em jogos contribuem para uma
maior interação do jovem com o conteúdo ali expresso, sendo possível estimular,
por meio deste tipo de artefato, uma visão mais consciente da utilização dos
meios de transporte e sua relação com os aspectos socioeconômicos, bem como
com os efeitos que causam no ecossistema da cidade. No entanto, cabe ressaltar que a aplicação desta pesquisa deve ser realizada em escolas com níveis de renda mais baixos, pois acredita-se que o objetivo será melhor alcançado. Por fim, salienta-se que este tipo de estratégia leva em consideração a evolução do ensino, a rapidez de aprendizagem, ademais, estimula o foco da atenção dos jovens para o conteúdo ministrado, evitando dispersões verificado com certa frequência nos tempos de hoje


Palavras-chave


Mobilidade Urbana. Estratégias Lúdicas. Jogos de Tabuleiro. Público Infanto-Juvenil. Brasília.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/pic.n3.2017.5808

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia