DISPOSITIVO PORTÁTIL PARA DIAGNÓSTICO DE DOENÇAS DO CORAÇÃO

Matheus Soares Nascimento, Natália Salomão Damião, Luciano Henrique Duque

Resumo


Com a oportunidade provida pelo Centro Universitário de Brasília - UniCEUB e apoio do
Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico – CNPQ, foi possível
elaborar uma pesquisa e o desenvolvimento de um dispositivo, que reuni duas grandes
áreas da ciência, a medicina e a engenharia, com a necessidade de realizar exames
cardiológicos e o envio dos resultados, em comunidades desprovidas de recursos, como
comunidades indígenas, ribeirinhas e algumas até próximas de grandes centros urbanos.
O equipamento desenvolvido para sanar essas dificuldades, é um dispositivo portátil e de
baixo custo, capaz de realizar a captação, o tratamento e o envio dos sinais cardíacos, para
um médico cardiologista analisar e diagnosticar o paciente, mesmo estando distante do
local de atendimento. O exame realizado pelo dispositivo não é invasivo, utiliza-se
eletrodos de superfície, que são posicionados em volta e sobre o peito do paciente. Os
eletrodos são distribuídos em um posicionamento específico sobre tronco, que pode ser
realizado por um especialista ou leigo, que apenas precisa seguir as instruções que
acompanham o equipamento, essa é uma das maiores vantagens do dispositivo, de poder
ser utilizado por qualquer pessoa. O equipamento conta com luzes indicadoras de
funcionamento, duas baterias, chave interruptora de alimentação, aplicativos para
smartfone e computador, uma placa de circuito controladora e uma de amplificadores e
filtros. A placa de amplificadores e filtros, recebe os sinais cardíacos por meio do cabo que
é ligado aos eletrodos, amplifica esse sinal por meio de amplificadores de instrumentação
e filtra utilizando filtros de primeira ordem passivos e filtros de segunda ordem ativos,
sendo todos analógicos, o sinal entra na placa com a tensão máxima de pico a pico de um milivolt e sai da mesma com uma tensão entre zero a cinco volts, tornando o sinal aplicacional. A placa controladora, gerencia as luzes de funcionamento, a comunicação e amostra em frequências especificas o sinal tratado pela placa dos amplificadores e filtros. Enviando em seguida para o aplicativo, que recebe via bluetooth o sinal cardíaco e aplica a um filtro digital, feito com a transformada de Wavelet, para aproveitar sua característica de multiresolução, que permite decompor um sinal em diversas faixas de frequências. Após o filtro digital o sinal é armazenado e imprimido na tela do aplicativo, permitindo ao usuário analisar pontos específicos. O envio ocorre no fim da utilização, ou durante o processo de utilização caso for solicitado pelo usuário, e o meio de comunicação é o e-mail. O equipamento foi submetido a testes, que avaliaram seu desempenho de captação e tratamento dos sinais cardíacos, para a comparação foi utilizado um eletrocardiógrafo profissional e para que os sinais sejam iguais em ambos dispositivos um equipamento simulador de sinais cardíacos é utilizado. Nos testes de envio, foi utilizado um smartfone e um computador, ambos conectados à internet e que continham o mesmo aplicativo do projeto. Com os testes concluídos, foi possível analisar e concluir, que os resultados foram satisfatórios, atingindo a meta inicialmente proposta, ou seja, a realização dos exames nas condições mencionadas


Palavras-chave


Aplicativo. Microcontrolador. Transformada Wavelet. Sinais cardíacos.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/pic.n3.2017.5771

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia