CARACTERIZAÇÃO DA DIVERSIDADE ZOOPLACTÔNICA EM RECURSOS HÍDRICOS DE ÁREAS SOB DIFERENTES USOS DO SOLO NO CERRADO

Mateus Marcelo Ribeiro Reche Corrêa, Eduardo Cyrino Oliveira-Filho, Leandro Pin Rangel

Resumo


A água é um elemento de suma importância para a sobrevivência dos organismos. Todavia, o grande desperdício e a contaminação por atividades antrópicas estão prejudicando sua disponibilidade para uso e a biodiversidade dos ambientes aquáticos. Variáveis ambientais são de suma importância para a discussão sobre a interferência na biodiversidade e componentes observados na água. Nesse contexto, o presente projeto teve por objetivo relacionar as variáveis ambientais de três rios do DF em pontos específicos com diferentes usos de solo, ou ações antrópicas, e discutir sobre a possível interferência desses fatores na diversidade e sobrevivência de componentes do plâncton da região. Os resultados obtidos no período de set/2016 até mar/2017 o córrego Jardim, que tem solo agrícola mostrou que a dureza do ano apresentou uma média de 4,57, Oxigênio Dissolvido (OD) 7.03 Sólidos totais dissolvidos (TDS) 3.05 e condutividade 7.46 no córrego Sobradinho que é em sua totalidade urbano e com indicativos de despejo de esgoto as médias de dureza, OD, TDS, e condutividade foram respectivamente: 94.57; 3,12; 84.64; 154.34. No córrego Sobradinho, sobre esse aspecto, a presença de organismos zooplanctônicos coletados, evidenciou uma diferença entre predominância de espécies presentes nas áreas naturais do córrego e naquelas sob despejo de esgoto. Análises de amostras da nascente represada do córrego Sobradinho, mostram que as proporções de Copépodes, Copepoditos, Arcellas, Difflugias e Centropyxis estão balanceados com pequenas variações de 2 indivíduos para cada 20 em 20ml de amostra. Após o contato com despejo de esgoto, as proporções se tornam distantes e é evidenciado uma diferença de 5 Difflugias e 4 Arcellas para cada 1 Copépode, Copepodito e Centropyxis, o que sugere que após a interferência das águas de esgoto, representantes dos clados Arcella e Difflugia tenham mais adaptabilidade às novas condições do que os outros clados zooplanctônicos. Para o córrego Jardim, também ocorre predominância dos clados Arcella e Difflugia que é evidenciado devido às proporções de 4 Arcellas e 3 Difflugias para cada 1 Copépode, Copepodito e Centropyxis. Em análises referentes ao córrego Sarandi cujas águas sofrem menor interferência antrópica e, portanto, condições mais próximas de águas de nascente, foi evidenciado uma maior concentração dos clados Centropyxis e Copépodes e com menor diferença numérica em relação aos clados Arcella e Difflugia, o que nos sugere um equilíbrio numérico em condições mais próximas do natural. Concluiu-se que para as condições de OD, Dureza, TDS e Condutividade alteradas em relação às condições naturais da água encontrada na nascente, os representantes de Arcella e Difflugia são menos afetados que os demais clados, o que significa que Copépodes e Centropyxis são melhores bioindicadores de qualidade, enquanto que a presença destacada de Arcellas e Difflugias pode indicar alterações mais drásticas nas condições da água


Palavras-chave


Zooplâncton. Ecotoxicologia. Qualidade de água.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/pic.n2.2016.5587

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia