CRIANÇA COM BAIXO DESEMPENHO ESCOLAR: FATORES DE RISCO E DE PROTEÇÃO PRESENTES NO DESENVOLVIMENTO INFANTIL, NO CONTEXTO FAMILIAR E ESCOLAR

Andressa Maceno, Juliane Obando, Simone Cerqueira da Silva

Resumo


O baixo desempenho escolar tem gerado a necessidade de realizar investigações científicas, desde a primeira metade do século XX, exigindo a necessidade de melhor compreendê-lo enquanto um fenômeno complexo e multifacetado, que envolve inúmeras questões, desde aquelas presentes nos microssistemas família e escola, até aquelas referentes aos outros níveis do ambiente ecológico, como as relações entre família e escola (exossistema) e as políticas públicas (macrossistema). Estudos que investiguem o baixo desempenho escolar sob uma perspectiva sistêmica e bioecológica, são desafios atuais e necessários considerando a evolução no olhar e na atenção a essa problemática. Este estudo consiste em identificar quais são os fatores de risco e de proteção presentes no desenvolvimento infantil e familiar, bem como no contexto escolar de uma criança com baixo desempenho escolar, no início do ensino fundamental. Participou deste estudo uma criança de 8 anos, que apresenta o indicativo de baixo desempenho escolar, bem como sua mãe, sua professora do contexto escolar e a psicopedagoga da Equipe de Apoio Psicopedagógico da Secretaria de Educação do Governo do Distrito Federal. A construção dos dados foi realizada na Clínica Escola de Psicologia/Cenfor do UniCEUB. Para a avaliação do desenvolvimento da criança foi utilizada a Hora de Jogo Lúdico, a Escala de Autoconceito Infanto Juvenil, a Escala de Stress Infantil, o Protocolo de observação do desenvolvimento, o Protocolo de Observação Psicomotora e o Teste de Inteligência Não Verbal. Para investigar o desenvolvimento da família foi utilizado o Inventário de Estilos Parentais, o Questionário de Caracterização do Sistema Familiar e um roteiro de entrevista semiestruturada. Para avaliar o contexto escolar foi analisado o projeto político pedagógico da escola e foi realizada uma entrevista semiestruturada junto à professora da criança e psicopedagoga da equipe de apoio psicopedagógico. A criança apresentou boas condições afetivo-emocionais, mas em relação ao seu desenvolvimento cognitivo, indicou um desempenho médio inferior. Quanto ao desenvolvimento familiar, as práticas parentais predominantes indicam a presença de um estilo parental regular, caracterizado pelo punição inconsistente e monitoria negativa. Quanto ao contexto escolar, a escola apresenta valores condizentes com a promoção de um espaço de promoção do desenvolvimento infantil; e as professoras valorizam a família e a individualidade do aluno, acreditam que devem promover a aprendizagem e acompanhar o desempenho da criança, mas suas práticas se mostram insuficientes para otimizar a aprendizagem das crianças. Existem fatores de risco no desenvolvimento infantil e familiar, que se inter-relacionam, assim como de proteção, e o contexto escolar mesmo apresentando fatores de proteção, tem limitações para otimizar o desenvolvimento infantil por meio de práticas que sejam condizentes com seus valores e crenças. Faz-se necessária a continuidade de estudos que legitimam a importância do papel da família e da escola, compreendendo que o desenvolvimento infantil ocorre numa inter-relação de fatores, de causalidade sistêmica


Palavras-chave


Desenvolvimento infantil. Baixo desempenho escolar. Família e escola.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/pic.n2.2016.5549

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia