AVALIAÇÃO DA CONTAMINAÇÃO ACÚSTICA PROVOCADA PELO METRO DO DISTRITO FEDERAL (ÁGUAS CLARAS)

Bárbara S Barbalho, Matheus Yusef Ali, Sérgio Garavelli, Armando de Mendonça Maroja

Resumo


Nos grandes centros urbanos a demanda por transporte tem aumentado nas últimas décadas, o que gera como consequência o incremento da poluição ambiental. Nas principais cidades brasileiras a principal fonte geradora de poluição sonora é o tráfego rodoviário, porém, em muitas cidades, transporte ferroviário, particularmente o metrô e os veículos leves sobre trilhos (VLT), contribuem para o agravamento deste quadro. Em Brasília, além do ruído emitido pelo tráfego veicular, outra fonte de ruídos devido é o metrô, que em grande parte de seu percurso é de superfície. O Metrô-DF, que é o principal meio de transporte público da cidade, possui uma malha de 42 km, que liga a região administrativa de Brasília às de Ceilândia e Samambaia e seus trilhos atravessam a cidade de um extremo ao outro, transportando em média 140 mil passageiros por dia. Como característica especial, a maior parte da malha metroviária é de superfície, o ruído emitido pela operação atinge a população residente na vizinhança da via, incluindo a cidade de Águas Claras, escolhida para o presenta estudo. Com população de aproximadamente 150 mil habitantes sofrem com problemas ambientais comuns a grandes centros urbanos, como a contaminação acústica. A cidade possui uma longa malha ferroviária de superfície, assim, a operação do metrô gera ruídos que atinge a população residente na vizinhança da via. Este trabalho teve como principal objetivo avaliar os impactos provocados pelo ruído emitido pela operação do metrô, na população de Águas Claras. Para tanto, foram realizadas medições acústicas nas áreas lindeiras à via e elaboradas cartas acústicas referentes aos ruídos gerados pela operação do Metrô. Na elaboração dos mapas de ruídos foram levadas em conta as curvas de níveis de toda a cidade. Os parâmetros acústicos utilizados, Leq(A), L90, L10, Lmin e Lmax foram definidos a partir do nível de pressão sonora equivalente Leq(A): nível do ruído contínuo equivalente ao som produzido durante um dado período de tempo medido com o filtro de frequências na ponderação A. As medidas foram realizadas em áreas residenciais próximas a malha viária. Como resultados, obteve-se níveis de pressão sonora que ultrapassaram 70 dB(A) próximo à fachada dos edifícios residenciais, valores que estão acima do limite estabelecido pela legislação brasileira e tem potencial de impacto negativo na qualidade de vida da população. Nas regiões onde a malha metroviária é de superfície, foi constatado que os níveis de pressão sonora produzidos pela passagem do metrô, apesar de intermitente, estão acima do ruído residual, assim como, do limite estabelecido pela legislação distrital. Em função do ruído intermite emitido pela operação do metrô, parâmetros de longo prazo como o Lden, que são usados pela legislação vigente para calcular o impacto que gerado na população, não representam de forma fidedigna as alterações na paisagem sonora na vizinhança da malha ferroviária de superfície do metrô. Como resultados também estimado o número de pessoas expostas por faixas do indicador acústico Lden e também a população incomodada e altamente incomodada pelo ruído gerado pelo Metrô


Palavras-chave


Acústica Ambiental, Mapas de Ruído, Ruído Metrô.

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/pic.n2.2016.5494

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia