REPRESENTAÇÕES DA JUSTIÇA PENAL BRASILEIRA: UM ESTUDO SOBRE AS METÁFORAS ENCONTRADAS EM "JORNAIS POPULARES"

Flávia Costa Pereira, Mayara Ferreira da Silva, Tiago de Aguiar Rodrigues

Resumo


O afastamento dos cidadãos do sistema judiciário tem consequências nefastas para qualquer democracia, principalmente as mais incipientes, como a brasileira. Como
consequência, o cidadão brasileiro não enxerga no Poder Judiciário um prestador de serviço público com a finalidade de manter a democracia, mas, sim, como um repressor dos pobres, cuja finalidade precípua é tomar medidas violentas, sem levar
em conta as questões sociais. Em outras palavras, existe um cisma entre o judiciário, na condição de instituição democrática, e a incorporação de valores democráticos no cotidiano das pessoas. Assim, as pessoas passam a buscar em outros meios de comunicação – com linguagem mais acessível – informações sobre a atuação da “justiça” no cotidiano. É nesse momento que essas pessoas se deparam com os chamados “jornais populares”, os quais, além do preço mais em conta, se afastam da retórica do mundo jurídico e abordam, com outras estratégias, temas ligados principalmente à justiça penal. Pode-se afirmar então que esses jornais, em certa medida, contribuem para formar, no imaginário dos seus leitores, uma representação do que seja a “justiça brasileira”. Embora cumpram importante papel social, o de instigar o hábito da leitura em uma classe social que até pouco tempo não tinha acesso à mídia escrita e, consequentemente, democratizar o acesso às decisões tomadas pelos operadores do direito, esses jornais podem contribuir também para a criação/o reforço de uma visão estereotipada/preconceituosa dos envolvidos em processos judiciais, em especial acusados, vítimas, delegados, promotores etc. Na medida em que os textos
produzidos expressam, em tese, o que “o povo quer ler”, é de se supor que os jornalistas lançam mão de pressupostos do senso comum para escrever as matérias
e, dependendo da forma de como elas são redigidas, tais pressupostos podem se tornar verdades universais e interferir diretamente na forma como as pessoas enxergam as ações do poder judiciário. A fim de compreender melhor como essas
diferentes representações são criadas nesses jornais, e como essas representações
influenciam na construção da imagem que os leitores desses jornais têm do Poder
Judiciário brasileiro, é que decidimos investigar as estratégias argumentativas
presentes nesses textos jornalísticos, principalmente o emprego de construções
metafóricas. As representações metafóricas empregadas nesses jornais mostram
muito mais do que um mero signo linguístico isolado; revelam de que forma parte da sociedade brasileira enxerga os personagens que fazem parte do cotidiano das notícias sobre a justiça e, por conseguinte, a própria estrutura judiciária


Palavras-chave


Representações sociais. Metáforas. Jornais populares

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/pic.n1.2015.5447

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia