MENSAGENS PELA (E PELA) CIDADE: A HUMANIZAÇÃO DE BRASÍLIA - DF VIA INTERVENÇÕES VISUAIS NA W3 SUL

Mayra Alves de Oliveira, Úrsula Betina Diesel

Resumo


Este projeto (irmão do projeto “Mensagens pela (e pela) cidade: a humanização de
Brasília – DF via intervenções visuais nas passarelas subterrâneas da Asa Sul)
caracteriza-se pelo levantamento fotográfico de mensagens manifestadas em paredes,
muros e calçadas na via W3 da Asa Sul, do Plano Piloto, em Brasília – DF, durante o
período de outubro de 2015 a março de 2016, na suposição de que tais intervenções
contribuam no despertar de afeto em relação à cidade e entre seus habitantes, no seu
espaço urbano. O objetivo é, depois do levantamento imagético, analisar o material a
fim de estabelecer como as escolhas que os compõem demarcam a busca pela
promoção do afeto. A metodologia configura-se, em um primeiro momento, via revisão
bibliográfica de referências sobre o tema, via autores como Russi, Augè, Gehl e
Gemzoe, Peirce, Santaella, Foucault. A partir daí, faz-se o levantamento fotográfico
das intervenções; a análise via dispositivos teórico-metodológicos da semiótica
peirceana e da análise do discurso de vertente francesa, com base em proposta
foucaultiana; e, por fim, uma pesquisa online com pessoas que transitam ou já
transitaram pela W3 Sul, feita via questionário de questões fechadas e abertas. Como
resultados tem-se cerca de 250 intervenções e seu contexto fotografados, o mapa da
área com a marcação das mesmas, e a análise de parte das imagens (30), escolhidas
por representarem maior recorrência e/ou impacto. O dispositivo semiótico permite
identificar a predominância de elementos icônicos (figurativos) humanóides, a técnica
do grafite e da pichação como elemento indicial mais recorrente (embora também haja
muitas colagens), e a forte complementariedade da mensagem imagética via o
elemento simbólico verbal, que direciona a interpretação dos demais aspectos
perceptíveis. Cromaticamente, vigoram cores fortes e contrastantes,
predominantemente com contornos em preto. No geral, a interpretação das
intervenções direciona-se a vivências pessoais e observações sobre aspectos que
cada indivíduo deve considerar em sua vida. Ao aplicar o raciocínio foucaultiano,
observa-se que as escolhas guardam forte conexão com o contexto das obras,
inclusive aparecendo, neste caso, obras de grande dimensão a fim de contemplar,
também, a observação das pessoas que por ali transitam em carros. As mensagens
indicam a tentativa de melhorar os ambientes em que são manifestas, enfeitando-os,
buscando a quebra do deslocamento espacial rápido e automático, e estabelecendo
uma conversa com e entre os transeuntes/habitantes e a cidade. A pesquisa aponta a
percepção positiva dos passantes em relação às intervenções, porém permeadas pelo
agito e receio, devido a questões de segurança, principalmente. Assim, pode-se
vislumbrar o funcionamento de tais intervenções urbanas na via W3 Sul, tanto para
pedestres quanto para ocupantes de automóveis em trânsito por ali, na direção do
estímulo à reflexão e ao afeto dentro da cidade e, também, em relação a ela


Palavras-chave


Comunicação urbana. Estética. Afeto

Texto completo:

PDF


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/pic.n1.2015.5432

Apontamentos

  • Não há apontamentos.

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia