24 DE MARÇO: UMA JORNADA DE MEMÓRIA, REFLEXÃO E JUSTIÇA.

maria luisa nunes da cunha

Resumo


Este texto aborda a reconstrução da memória e da identidade Argentina, após o Golpe de Estado (1976 – 1983), a partir da criação e fortalecimento das organizações de direitos humanos. Traça um quadro da relevante atuação desses organismos e dos familiares de desaparecidos na formação de uma cultura cujas bases são edificadas na liberdade, justiça, tolerância e, sobretudo no respeito à dignidade humana. Examina a promoção desses valores nos âmbitos educativos nacionais a partir da jornada à análise crítica do golpe de Estado de 1976, a cada 24 de março. Por fim, este texto trata da importância da reflexão e da discussão, nas escolas, sobre as denúncias e novidades acerca dos anos mais escuros da História Argentina.

Palavras-chave


Argentina; ditadura; terrorismo de estado, direitos humanos.

Texto completo:

Texto Completo


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/pade.v1i1.585

ISSN 1980-8887 (on-line) - e-mail: joelmarodriguess@gmail.com

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia