A TRAJETÓRIA DOS ESTUDOS SOBRE RELAÇÕES RACIAIS NO BRASIL

Iraneide Soares da Silva

Resumo


Com base em releitura da história do Brasil, a cada década, o fenômeno do racismo adquire nova roupagem, tendo em vista que cerca de 47% da população são negros e vivem, nos anos 2000, com índice de desenvolvimento humano médio – IDHM – de 0,703 em relação à população branca, com IDHM de 0,814. A população negra do século XXI tem IDHM entre 0,500 e 0,799, compatível com a 105ª posição mundial. A distância entre brancos e negros, portanto, é enorme: 61 posições no ranking do IDH mundial. Este artigo traz reflexões sobre o pensamento histórico-sociológico brasileiro, tendo como personagem o negro, e incentiva o fomento a pesquisas sobre políticas de ações afirmativas e a inserção do negro nas áreas tecnológicas de conhecimento, especificamente nos CEFET’s – Centros Federais de Educação Tecnológica.

Palavras-chave


Negro. Ações Afirmativas. Educação Tecnológica. CEFET’s.

Texto completo:

texto completo


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/pade.v1i1.145

ISSN 1980-8887 (on-line) - e-mail: joelmarodriguess@gmail.com

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia