“Ele disse que chegava lá”: um anônimo conhecido por todos nós - doi: 10.5102/uc.v6i2.774

Cynhtia Rejanne Correa Araujo Ciarallo

Resumo


A partir do enredo trazido pela poesia de Chico Buarque, “O meu guri” (1981), associado à análise de processos em tramitação na Vara da Infância e da Juventude do Distrito Federal, estabeleceram-se conexões entre arte/ficção e realidade social brasileira, a fim de compreender aspectos do cotidiano de adolescentes que se encontram em situação de pobreza e risco social. Questões envolvendo mídia, família, trabalho, criminalidade, segregação social, e justiça se fizeram presentes na análise, evidenciando diversos olhares que mantêm esse adolescente numa paradoxal relação de anonimato e incômodo social.

Texto completo:

Texto Completo


DOI: http://dx.doi.org/10.5102/uc.v5i2.774

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


ISSN 2175-7461 (impresso) - ISSN 2179-488X (on-line) - e-mail: joana.bicalho@uniceub.br

Desenvolvido por:

Logomarca da Lepidus Tecnologia